quinta-feira, junho 30, 2011

IMPOSTO TRAPALHÃO

Passos Coelho começou muito mal a sua acção como 1º ministro, lançando um imposto não previsto no programa de governo com que se apresentou ao eleitorado, e apresentando como pretexto “o estado das contas públicas”, usando para isso números do INE divulgados no dia anterior.

Os números em causa não permitem de modo nenhum concluir que o défice encontrado, de 7,7%, tivesse o mesmo reflexo no cômputo anual, porque é sabido que o défice é sempre maior no 1º trimestre. A utilização e a conclusão tirada destes números não são sérias nem fundamentadas, ainda que os números possam estar correctos.

Dizendo que podia ir mais longe do que o que estava no compromisso com a troika, não quer dizer que fosse mais além do que estava no seu programa, e Passos Coelho omitiu este imposto ciente que perderia votos nas eleições.

Agora há também muito que explicar com o dinheiro que vai ser cortado nos subsídios de Natal, como sejam os descontos que sobre esse subsídio recaíam antes do corte, e aqueles que irão ser feitos com este novo imposto. Será que vamos fazer descontos sobre o imposto extraordinário? Será que abate ao IRS deste ano?

Este coelho que Passos Coelho tirou da cartola à última hora é uma trapalhada que como se vê nem estava devidamente estudada.

««« - »»»
Humor Saído da Cartola
Curiosidade - O Smilodon popularmente conhecido como Tigre Dentes de Sabre, era um felino que se julgava extinto, pelo menos até ontem. Hoje já há quem tenha fundadas dúvidas!...
««« - »»»
Foto - Coelho Bravo

quarta-feira, junho 29, 2011

DO DISCURSO À REALIDADE

Os nossos políticos já nos habituaram a discursos politicamente correctos, mas suficientemente “elásticos” para poderem ter diferentes interpretações. É difícil estabelecer a fronteira entre a verdade e a mentira, como convém, mas fica quase sempre a sensação de que o que dizem não é para ser interpretado à letra.

Todos ouviram os discursos de Sócrates e fizeram já o seu julgamento, e agora já ouviram as palavras de Passos Coelho sobre o qual terão que se pronunciar em tempos próximos, porque em breve irão sentir na pele o que ele vai decidir.

A última surpresa, ainda pouco explicada, parece ser um imposto extraordinário para cobrir a derrapagem que se espera no orçamento deste ano, e que parece traduzir-se numa taxa especial no IRS dos contribuintes singulares, cobrada a título excepcional e de uma só vez. Já tinham ouvido falar disto, meus caros?

Outra surpresa, ou talvez não, terá sido a recente declaração de Cavaco Silva que disse que “é fundamental que os portugueses sintam que há justiça na distribuição dos sacrifícios”, já depois de conhecer o Programa deste Governo. Talvez seja oportuno recordar que na tomada de posse do mesmo Governo disse que os portugueses não aguentariam mais medidas de austeridade, e “que há limites” para as mesmas.

Um destes dias até os que votaram nos partidos que agora estão no poder, irão dizer que já basta de austeridade, apenas para colmatar os actos de má governação e sem reflexos nenhuns, positivos, para o bem colectivo. Um dia seremos todos mais exigentes, e saberemos exigir responsabilidades efectivas a quem não tenha cumprido as promessas, ou que tenha sido negligente na condução da causa pública.

««« - »»»
Humor - Enfiar a Carapuça

««« - »»»
Foto - Papoila

segunda-feira, junho 27, 2011

PONTOS DE VISTA

A CGTP foi recebida pelo ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, e saiu do encontro pouco impressionada com o encontro e apresentou como intenção exigir o aumento do salário mínimo nacional.

No mesmo dia também foi recebida a Confederação do Turismo de Portugal que sublinhou que o desemprego deve ser a principal preocupação nesta altura.

As declarações das duas organizações até parecem ir no mesmo sentido, ou seja, melhores salários e menos desemprego, mas não é exactamente isso que está subjacente das declarações dos responsáveis das duas organizações.

Se a CGTP pretende o aumento do salário mínimo para 500 euros ainda este ano, a CTP não o quer, e atira ao lado dizendo que o problema crucial é o desemprego. Quanto ao desemprego temos a CGTP contra a facilitação dos despedimentos e da diminuição das indemnizações, e a CTP a favor da facilidade nos despedimentos e a favor da diminuição do valor das indemnizações.

Assim à primeira vista temos uma organização patronal que está preocupada (?) com o desemprego, mas que pretende despedir mais facilmente, e com menos encargos, o que era o que já se percebia. Fiquei aliás preocupado com esta “preocupação com o combate ao desemprego" de José Carlos Pinto Coelho, pois fiquei com a impressão que se ele tem essa ideia na cabeça então só poderá ser realizada com a redução dos salários, podendo assim empregar dois trabalhadores pelo valor do salário de um (!).

««« - »»»
Foto - Variações em Branco

««« - »»»
Humor - Fuga de Artista

domingo, junho 26, 2011

DE QUE VALE A SABEDORIA?

Os homens que se entregam à sabedoria são de longe os mais infelizes. Duplamente loucos, esquecem que nasceram homens e querem imitar os deuses poderosos, e a exemplo dos Titãs, armados com as ciências e as artes, declaram guerra à Natureza. Ora, os menos infelizes são aqueles que mais se aproximam da animalidade e da estupidez.

Tentarei fazer-vos entender isto, usando, em vez dos argumentos dos estóicos, um exemplo crasso. Haverá, pelos deuses imortais, espécie mais feliz que os homens a quem o vulgo chama loucos, parvos, imbecis, cognomes belíssimos, na minha opinião? Esta afirmação poderá a princípio parecer insensata e absurda e, no entanto, nada há de mais verdadeiro. Tais homens não receiam a morte, e, por Júpiter! Isso já não representa pequena vantagem! A sua consciência não os incomoda. As histórias de fantasmas não os aterrorizam, nem os afecta o medo das aparições e espectros, nem os males que os ameaçam ou a esperança dos bens que poderão vir a receber. 

Nada, em resumo, os atormenta, isentos dos mil cuidados de que a vida é feita. Ignoram a vergonha, o medo, a ambição, a inveja e chegam mesmo, se são suficientemente estúpidos, a gozar o privilégio, segundo os teólogos, de não cometerem pecados.

Passai agora em revista, ó louco sábio, todas as noites e infinitos dias em que a inquietação crucifica a tua alma. Olha bem para todos os aborrecimentos da tua vida e tenta compreender, enfim, de quantos males eu liberto os meus loucos. Acresce ainda que não só passam o tempo em divertimentos, risos e canções, como levam a todos os que os rodeiam o prazer, os seus jogos, o divertimento e a alegria, como se a indulgência divina os tivesse destinado a afastar a tristeza da vida humana. Além disso, quaisquer que sejam as disposições de uns para os outros, todos os reconhecem como amigos; procuram-nos, adoram-nos, acarinham-nos, gostam de conversar com eles, permitem-lhes que tudo digam e tudo façam. Ninguém os tenta prejudicar e os próprios animais ferozes evitam fazer-lhes mal como se instintivamente os soubessem inofensivos. Estão, com efeito, sob a protecção dos deuses e sobretudo sob a minha égide, rodeados pelo respeito universal.

Erasmo de Roterdão, in "Elogio da Loucura" (fala a Loucura)

««« - »»»
Pintura - Erasmo de Roterdão

««« - »»»
Humor - Prevenção

sábado, junho 25, 2011

FINALMENTE DESCOBRIRAM

Eu e muitas outras pessoas andamos há meses a dizer que a receita imposta pela troika formada pelo FMI, BCE e Comissão Europeia, não leva à solução pretendida que é a redução do défice e posterior recuperação económica.

Agora surge a OCDE a afirmar que não basta reduzir as despesas e intervir nas receitas para a redução dos défices. O horizonte da “ajuda” externa que podemos vir a receber foi estimado em 7 anos, o que sempre disse ser impossível, e agora a OCDE aponta para prazos mais alargados ao concluir a nossa dívida só deverá estabilizar e começar finalmente a reduzir, lá para 2016.

Afinal os especialistas acreditados na alta economia e na economia ocidental, levam mais tempo a concluir aquilo que qualquer cidadão minimamente sensato pode concluir em muito pouco tempo, talvez porque está mais habituado a pagar as suas contas sem o recurso a sofisticadas técnicas de cálculo.

««« - »»»
Foto - Gárgula Comilona

««« - »»»
Humor Consagrado
By Biratan

quinta-feira, junho 23, 2011

ACTOS AVULSOS

O novo governo de Passos Coelho deu um sinal de não pretender nomear novos governadores civis, alegando “exemplo de rigor e contenção”, demonstrando evidente inexperiência e desconhecimento dos preceitos legais a que está vinculado.

Sem querer entrar na discussão sobre se os governos civis são ou não dispensáveis, que é um terreno difícil e delicado, pois envolve pessoal destas e de outras estruturas que eventualmente possam vir a absorver as competências até agora da responsabilidade destas estruturas, o que importa é saber se a decisão de Passos Coelho não terá sido precipitada.

Eu fiquei com a sensação de que o 1º ministro pretende com esta decisão, e por causa dela, precipitar uma revisão da Constituição, sem a qual a sua vontade não tem pés para andar. Se é este o caso então escolheu muito mal o seu momento, pois há tarefas muito mais urgentes a que se deve dedicar.

A política não pode ser usada como um jogo, e a verdade que foi anunciada começa a ficar minada por atitudes calculistas ou irreflectidas, e neste caso estaremos perante uma destas duas hipóteses, mesmo que o objectivo (da poupança) possa ser considerado razoável.

««« - »»»
Foto Florida

««« - »»»
Humor Escapista

quarta-feira, junho 22, 2011

CURTINHAS

Património – É muito interessante constatar que seja o presidente do Tribunal de Contas a salientar a importância do Património e da nossa história de muitos séculos. Disse ontem Guilherme d’Oliveira Martins que o Património é do melhor que temos para oferecer, e que não se pode ignorar que há números que o dizem claramente. Espero que Passos Coelho, sob cuja tutela fica o Património o tenha em devida conta neste seu consulado.

Reviravolta – Depois do infeliz episódio da votação de Fernando Nobre, eis que apareceu uma nova candidatura que venceu e convenceu à primeira. Assunção Esteves foi eleita e suscitou elogios de todas as bancadas, o que é de realçar, como também é de realçar o seu discurso de posse, bastante denso e contrastante, relativamente aos discursos de circunstância do 1º ministro e do presidente da República.

segunda-feira, junho 20, 2011

ANIVERSÁRIO

Este espaço foi criado há exactamente 6 anos. No dia 20 de Junho de 2005 anunciei a minha chegada a este blogue depois de ter alimentado, juntamente com outros amigos, um sítio com o mesmo nome.

Este blogue foi criado para expressar as minhas opiniões, mostrar coisas de que gosto e para fazer a vontade a outros amigos que por cá andam ou andaram no passado. Não sei por quanto tempo mais aqui continuarei, mas enquanto isso me der prazer é natural que continue a postar umas coisas.

Os números de visitas são maiores do que eu esperava, bem como o número de “escritos” mas o mais importante foi o prazer que tudo isto me deu.

Agradeço a todos os que me têm visitado e aos que me têm fornecido algum do material que aqui tenho colocado. Espero não ter defraudado ninguém, sendo sempre fiel ao que penso e sinto.

Obrigado

José Lopes (O Guardião)