quarta-feira, dezembro 11, 2019

GOVERNO SEM VERGONHA

Os aumento salariais anunciados para a Função Pública de 0,3%, são no mínimo um insulto para quem trabalha.

Todo e qualquer aumento depois de 10 anos de congelamento, só devia ser num montante igual para todos e nunca numa base percentual, pois o custo de vida aumentou igualmente para todos e não mais para uns do que para outros, e ainda por cima quem menos ganha menos margem tem para diminuir consumos sem entrar em carência.

A proposta apresentada agora pelo Governo resume-se em 1,905€, mensalmente e em termos brutos, para quem aufere 635€ que é o salário mínimo actualmente na Função Pública.

O ridículo não mata, pois em caso contrário haveria uma grande razia no executivo de António Costa e Mário Centeno...


segunda-feira, dezembro 09, 2019

ANTES E DEPOIS

Este é o aspecto actual da Sala do Trono do Palácio Nacional de Mafra, depois do restauro das pinturas.
 
Aqui está o aspecto da mesma sala uns anos antes dos trabalhos de restauro

Uma fotografia também anterior ao restauro, mas tirada a partir do lado contrário.

domingo, dezembro 01, 2019

BEIRA, A MINHA TERRA

Enquanto recordo a terra onde nasci, a Beira, vendo vídeos anteriores e posteriores à independência de Moçambique, também vou vendo fotografias dum passado ainda anterior ao meu nascimento, como estas que vos deixo mais abaixo.

Viagem de D. Luís Filipe Príncipe da Beira a Moçambique 1907

Caserna da Polícia 1908 (Beira)

Fotos publicadas no Facebook por Hélder Martins

segunda-feira, novembro 25, 2019

CRÍTICAS POUCO RAZOÁVEIS

O politicamente correcto é muitas vezes um perfeito disparate, em que se confunde o que se quer defender com tudo e mais alguma coisa. 

Em geral pega-se em algo do passado e vai de tecer condenações a torto e a direito, sem olhar às condicionantes do tempo, dos usos e costumes e até da racionalidade.

Alguém postou  numa rede social uma imagem publicitária da vetusta Casa Africana, que sempre foi aceite como razoável e inócua, mas logo surgiram as vozes críticas que só conseguiram realçar a cor da pele do símbolo da empresa em questão.

Infelizmente os críticos da imagem, que a ligaram apenas ao facto de ser de cor negra e à exploração que julgavam evidente pelos embrulhos que segurava, não viveram no século XX, desconhecem completamente as funções dos porteiros e bagageiros de hotel, e até de comboios e navios.

Enfim, a ignorância e a sede de protagonismo de quem apenas segue a onda do politicamente correcto...






domingo, novembro 24, 2019

NO REINO DA ALDRABICE


Portugal continua a ser um país virtual, em que aquilo que consta não bate certo com a realidade do dia-a-dia dos seus habitantes.

Os patrões acham que um ordenado mínimo nacional de 635€ podem ser factor desequilibrador para muitas pequenas e médias empresas nacionais, o que poderia ser prejudicial para muitos trabalhadores dessas empresas. É curioso que num país onde a maioria das 1,2 milhões de empresas nacionais não apresentam lucros, e os seu donos e gestores andam em carros topo de gama, o que não bate muito certo, bem como a baixa produtividade, que com dados martelados só pode mesmo ser baixa.

O Estado que devia ser o exemplo para todos, promete aumentos que deviam cobrir a inflação, afinal use dados de anos anteriores, como se os custos se mantivessem ao nível do modelo utilizado. Também convém recordar que os salários da função pública estão congelados desde 2009, sim, há dez anos.

Se os políticos (e os governantes são políticos), e os patrões usam destes estratagemas para iludir quem trabalha, então é licito dizer que vivemos num país dominado por aldrabões, tanto na política como no patronato.