domingo, outubro 25, 2020

MARCELO O DESATENTO

Não está em causa se concordamos ou não com as medidas que o Governo está a tomar com o pretexto de controlar a epidemia que enfrentamos, mas sim a leveza com que tanto o Governo como o Parlamento agem e impõem medidas restritivas dos direitos dos cidadãos, ignorando a Constituição.
 
Não estou sozinho nesta denúncia, tenho a companhia de muitas pessoas e uma delas é o Prof. Jorge Miranda.
 
Resta-nos esperar que o Presidente Marcelo abandone o silêncio ruidoso com que nos tem brindado por estes dias, e relembre à classe política que a Constituição é para respeitar, ou então merecerá o cognome que já corre na boca de muitos portugueses.


 

quinta-feira, outubro 22, 2020

IMAGENS DA SEMANA

*

                                Latrina Medieval 1530 (Max Planck Institute)

 

terça-feira, outubro 20, 2020

PUBLICIDADE ENGANOSA NA SAÚDE

Bem pode o Presidente apresentar-se sem camisa a levar a vacina contra a gripe, ou a senhora ministra vir dizer sincopadamente que o Governo antecipou a compra das vacinas e a sua administração, que a realidade acaba por desmentir os discursos.

Ontem enviei um mail para o meu Centro de Saúde, e um amigo dirigiu-se ao mesmo, no intuito de marcar a tomada da mesma, pois era o 1º dia indicado para nós, os utentes com mais de 65 anos, a podermos tomar. Ele ficou no exterior do Centro de Saúde durante cerca de 30 minutos (e chovia), para depois ser atendido e ser informado que a marcação ficava para 28 de Novembro.

Eu estava em casa e aguardei o contacto que surgiu hoje, dia 20/10, e a informação era a da marcação para o dia 28/11, um sábado o que estranhei mas que a senhora enfermeira confirmou. Pelo meu amigo soube que o nosso Centro de Saúde ainda nem conseguiu vacinar todos os utentes e funcionários dos lares da zona.

Quem tivesse visto e ouvido o Presidente e a senhora ministra, podia pensar que estava tudo operacional, mas não, nem nos Centros de Saúde, nem nas farmácias onde as remessas chegam aos bochechos.

Falam os responsáveis, desde o Presidente e o 1º ministro, aos dirigentes do sector da saúde, na responsabilidade colectiva no controlo da pandemia, mas eles não fazem o que lhes compete, como se percebe. 


 

quinta-feira, outubro 15, 2020

COVID DISPARATADO

"Odeio ser autoritário" mas "senti que era preciso haver um abanão" disse António Costa, e vai daí tenta impor a obrigação de instalar a App Stayaway Covid nos telemóveis de todos os cidadãos sob pena de multa...


 

sábado, outubro 10, 2020

FRASE A RECORDAR

 

                                                 Frase tirada desta notícia

terça-feira, outubro 06, 2020

A HIPOCRISIA DO PODER

Quando um funcionário duma empresa fica infectado, não tem o mesmo tratamento que um figurão, e os colegas não são todos avisados e testados, uma e outra vez com a maior brevidade. Claro que somos todos iguais, mas não completamente iguais.

Há focos de infecção em Lisboa e no Porto, confina-se o pessoal em casa, mas podem sai para tratar da saúde, fazer as compras essenciais, e, mais importante para ir trabalhar. Que importa que os transportes estejam cheios e que as paragens estejam à pinha, o país não pode parar. Não pode é passear, ir jantar fora ou ir ao futebol.

O Trump fica infectado por andar a negar a evidência, e recebe tratamentos em casa, vai para o hospital e é submetido, não aos tratamentos que recomendava, mas ao que existe de mais avançado e inovador. Quarentena, qual quarentena, sai para dar uma volta ao hospital de carro, volta para casa onde tem o que há de melhor na assistência à saúde, e ainda tem o topete de dizer para que os cidadãos “não tenham medo da doença”. Claro que nem todos têm direito aos mesmos cuidados de saúde, e por vontade do fulano nem deveriam ter direito sequer à protecção na doença.

Claro que somos todos iguais, mas uns são mesmo mais iguais do que os outros…