segunda-feira, maio 30, 2011

FALTA DE LÓGICA

O tal Memorando de Entendimento que vinculou os três partidos signatários e a troika (CE, BCE e FMI), acaba por ser um documento estranho, onde a pretexto de se procurar aumentar a competitividade se desenham políticas divergentes.

Na saúde diminuem-se as deduções, as comparticipações nos medicamentos, as comparticipações em meios de diagnóstico, tudo a bem da poupança. Ao nível de salários e de pensões temos congelamentos e até cortes reais.

A competitividade é o pretexto para todos os cortes, na opinião dos signatários do documento, ainda que seja mais do que evidente que não são os custos laborais que prejudicam a competitividade dos nossos produtos além fronteiras, ou mesmo dentro das mesmas. Os salários e as pensões são das mais baixas da União Europeia.

Um dos factores de produção que mais pesam no que produzimos é a energia, e essa é das mais caras no espaço económico em que estamos inseridos, mas para esse sector aumenta-se o IVA.

A irracionalidade da política que nos está a ser imposta não é discutida nesta campanha eleitoral por nenhum dos partidos que se comprometeu em implementar estas políticas, talvez por isso mesmo: não tem lógica!

««« - »»»
Foto - Estrela

««« - »»»
Humor - A Crise Interminável

domingo, maio 29, 2011

O MEU VOTO

Chegados à última semana da campanha eleitoral importa reflectir um pouco sobre o que se me deu ver e ouvir por parte dos candidatos e por parte da comunicação social.

Considerando que a campanha começou oficialmente logo a seguir à assinatura do documento elaborado pela troika (UE, BCE e FMI), esperava-se que esse fosse o tema central de toda a campanha. Apesar de terem sido três os partidos que assinaram aquele documento, a verdade é que tirando o episódio da Taxa Social Única, não se falou mais do assunto.

É simplesmente inacreditável que não se fale do verdadeiro programa de governo para os próximos anos, e que os partidos signatários se esquivem ao assunto. A falta de esclarecimentos aos eleitores é ainda mais estranha se tivermos em atenção o incidente dos dois documentos conhecidos, que pelo menos dois dos partidos dizem desconhecer, mas que o outro diz que foi do seu conhecimento.

Na realidade, se for algum destes partidos que ganhe as eleições, ou uma combinação em que eles entrem, quem de facto vai governar o país é a troika por interpostos ministros portugueses.

Por esta e outras razões, que se prendem com o que esses partidos fizeram em governos anteriores, uma coisa para mim é certa: não votarei nem no PS, nem no PSD, nem no CDS, e desta vez não irei votar em branco, como tem sido a minha norma. Desta vez o meu voto vai ser um voto expresso numa formação partidária.

««« - »»»
Foto - Flor
By Palaciano
««« - »»»
Humor - Vidas do Avesso
1.189

sábado, maio 28, 2011

A HIPOCRISIA OCIDENTAL

Talvez se lembrem ainda do modo como foram descritas e aceites as manifestações populares nos países do norte de África, quando elas aconteceram em vários países.

A imprensa e os dirigentes políticos europeus receberam as rebeliões populares com agrado e exigiram, por parte dos governos em causa, respeito e tolerância, condenando as tentativas de repressão das manifestações. Os regimes que ousaram reprimir os manifestantes foram rotulados de intolerantes.

Os acontecimentos no norte de África não são muito longe de nós, mas não aconteceram em solo europeu, porque aí teriam diferente tratamento, como aconteceu em Espanha na Praça da Catalunha (Barcelona). Aí as autoridades usaram a força para, “por motivos de higiene”, afastar os manifestantes que lá se encontravam há 12 dias.

A hipocrisia leva-nos a ter dois pesos e duas medidas, consoante as coisas se passem à nossa porta, ou na porta do vizinho. A força utilizada em África é violência e repressão, mas a mesma força aplicada cá no velho continente, tem razões como a higiene que a justificam.

A Europa começa a perder a sua matriz de Liberdades, bem como cada vez mais se aproxima socialmente de países que já criticámos num passado bem recente. Isto é preocupante e deve fazer-nos meditar sobre o tipo de Europa que queremos.

««« - »»»
Foto de Biombo

««« - »»»
Humor Fresco

sexta-feira, maio 27, 2011

DINHEIRO SUJO

O dinheiro não será tudo na vida, mas há quem dele se sirva para dominar e praticar actos que deveriam repugnar a sociedade, mas há sempre alguém que não se toca.

O caso DSK é polémico e há quem defenda o antigo homem forte do FMI. Um cidadão anónimo teria outra sorte, sem nenhuma casa de luxo para poder aguardar o julgamento, nem advogados dos mais caros, e muito menos haveriam comentadores escandalizados com as algemas ou com a barba por fazer.

Outro caso em que o dinheiro fazia com que o lado odioso de alguém fosse “esquecido” foi o caso Kadhafi, que como se sabe foi contactado pelo governo no intuito de venda da dívida portuguesa. Desconheço se a terá comprado, mas sabe-se agora que terá investido em dívida do BES e do BCP.

Dinheiro é dinheiro dizem-nos, mas há algum dinheiro que nos devia repugnar.

««« - »»»
 Humor - Estamos Fritos
««« - »»»
Foto Junto à Praia
By Palaciano

quarta-feira, maio 25, 2011

O PODER DO VIL METAL

Uma notícia do jornal francês Libération é talvez o exemplo acabado do poder do dinheiro e das fragilidades da justiça em qualquer parte do mundo.

Segundo se lê neste jornal, a defesa de Dominique Strauss-Kahn prepara-se para tentar convencer a família da presumível vítima, a aceitar uma choruda quantia para retirar a acusação que pende sobre o antigo homem do FMI.

Quando se chega a este ponto, torna-se evidente que não se tratou de nenhuma manobra política, ou de qualquer outra natureza, que esteve na origem da prisão de DSK, mas sim algo que o dito fez e que resultou na sua acusação.

Apesar de nos EUA a justiça ter funcionado com a celeridade necessária, a verdade é que os dispendiosos advogados de DSK e o dinheiro à sua disposição, podem vir a transformar este caso num fiasco, pois é possível que um acordo resulte na retirada da acusação por parte da vítima, e na falta de castigo para um possível crime.

Tal como os modernos e sofisticados detergentes, também o dinheiro pode lavar mais branco!

««« - »»»
Humor e Poder

««« - »»»
Foto de Flor

segunda-feira, maio 23, 2011

SABEDORIA

Há três métodos para ganhar sabedoria: primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; segundo, por imitação, que é o mais fácil; e terceiro, por experiência, que é o mais amargo.

(Confúcio)
««« - »»»
Foto em Amarelo

««« - »»»
Humor e Conhecimento

domingo, maio 22, 2011

ANJO CAÍDO

Na flor da vida, formosa,
ingénua, casta, inocente,
eras tu no mundo, rosa!
Quem te arrojou de repente
para o abismo fatal?
Viste um dia o sol de abril;
o teu seio virginal
sorriu alegre e gentil.


Ergueu-se aos clarões suaves
d'aquela doce alvorada
a tua face encantada.
Amaste o doce gorjeio
que desprendiam as aves,
e no teu cândido seio
quanto amor, quanta ilusão
alegre pulava então.


Mal haja o fatal destino,
maldita a sinistra mão,
que em teu cálix purpurino
derramou fera e brutal
esse veneno fatal.


Hoje és bela; mas teu rosto
que outrora alegre sorria,
é todo melancolia!


Hoje nem sol, nem estrela,
para ti brilha no céu;
mal haja quem te perdeu!
 
Raimundo António de Bulhão Pato

sexta-feira, maio 20, 2011

ROBIN COELHO

"Passos Coelho quer taxar os ricos para ajudar os pobres", titula o Diário Económico, falando de um "plano de emergência social". Muito sinceramente não vejo que esta promessa se enquadre na política actual do PSD, nem tão pouco a encaro como uma promessa com hipóteses de vir a ser cumprida, mas cá estaremos para ouvir mais pormenores da boca do candidato, talvez ainda esta noite no debate com Sócrates.

Apetece-me dizer que cada vez mais estes candidatos se confundem na utilização das mesma tácticas, prometendo muito antes de eleições.

Coelho ou raposa?
 ««« - »»»
Vídeo Alusivo

quinta-feira, maio 19, 2011

A RESPONSABILIZAÇÃO

Nestes últimos dias temos assistido a discussões acaloradas sobre assuntos económicos, reflexo da crise económica e financeira que o nosso país atravessa, e das eleições que se aproximam.

Um dos temas que se discutiu foi o da possibilidade da renegociação da dívida, bem a par da “ajuda” externa que está a chegar, mas a divisão de opiniões situa bem a linha que divide a esquerda e a direita.

Podem pensar que eu apenas defenda a renegociação pedida pela esquerda, mas não é isso que mais me interessa, porque o tempo acabará por me dar razão nesse ponto. O que na realidade me move é sobretudo a responsabilização dos indivíduos que nos levaram a afundar nesta crise.

Os islandeses foram muito mais assertivos do que nós, e exigiram a responsabilização criminal dos culpados da sua crise, e na verdade políticos e banqueiros foram acusados e estão a braços com a justiça, na medida das acusações que sobre eles pendem. A culpa por lá talvez não morra solteira como por cá.

Não basta recriminar as práticas de corrupção como nós fazemos com muito ênfase, é preciso agir em conformidade e exigir justiça, que é o que não fazemos, entretidos que estamos em discussões menores. Se alguns políticos estão interessados em mexer na Constituição, então devemos exigir que a 1ª mexida seja a da responsabilização dos políticos, e logo veremos quem anda nessas lides de boa fé.

««« - »»»
Pintura - Passeio à Chuva

««« - »»»
Humor - Arena de Debates Políticos