terça-feira, novembro 17, 2009

REVISITAR OUTRAS LUTAS



Escolhi esta canção de Brel, não apenas porque gosto dela, mas também porque na época em que a ouvi pela 1ª vez estava quase tão revoltado com a sociedade como hoje. Na altura eu ainda pensava em mudar o mundo, agora limito-me a alertar quem me rodeia contra uma cáfila que vai refinando as malfeitorias, e se escuda nos alçapões legais que foi plantando durante a passagem pelo poder.

««« - »»»
Fotos do Mundo
Budapest por Vasja2k

Veneza por Vasja2k

««« - »»»
Humor Russo

9 comentários:

Anónimo disse...

Uma época em que a intervenção cívica era forte e o poder não se podia dar ao luxo de colocar o pé em ramo verde.
Lol

AnarKa

Ferreira-Pinto disse...

Temo bem que graças ao imobilismo e egoísmo dos tempos que correm, quando quisermos dar um grito de revolta será tarde demais!

Meg disse...

Caro Guardião,

E não é que cada vez há mais alçapões! E são feitos à medida.
Quanto ao Brel... que saudades!
Outros tempos, meu caro.

Um abraço

ps: como não tenho nada que fazer... faço isto
http://meg-experimental.blogspot.com/

Isamar disse...

Somos da mesma geração, com certeza. Também gosto muito de Jacques Brel e em tempos sonhei que tinha força para mudar o mundo. Até cheguei a crer nisso. Hoje, vencida pela desesperança, deixei de acreditar na possibilidade de uma sociedade mais justa e igualitária.

Beijinhos

Bem-hajas!

o escriba disse...

Revejo-me inteiramente no seu texto!Mas também tenho a impressão (se não certeza) de que quantos mais avisos há, menos as pessoas vêem e ouvem... os umbigos ganham cada vez mais adeptos.

Um abraço
Esperança

elvira carvalho disse...

É amigo, quando temos 20 anos todos sonhamos mudar o mundo. Quando chegamos aos 60, só resta a desilusão.
Um abraço

Isabel-F. disse...

Tb eu gosto imenso desta música ...

e ... hoje tão actual ...


bjs
isabel

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jorge P.G disse...

Uma das minhas "canções de culto"!
Brel era um artista e um revolucionário. Morreu cedo, claro!

Cumps