terça-feira, janeiro 27, 2015

CONTOS DE CRIANÇAS

Há políticos que ainda não perceberam que quando se estica demasiado a corda essa pode partir, que foi o que aconteceu agora na Grécia.

Os políticos na Grécia governaram mal, reiteradamente mal, conduzindo o país à situação em que está. As instituições europeias, e mundiais, impuseram programas de resgate tão pesados que conduziram o país ao desemprego, boa parte dos gregos à miséria, e deixaram um povo sem esperança no futuro.

O resultado foi o voto de protesto, castigando assim os partidos de poder, porque o caminho que seguiam só aumentava os problemas, e com este voto de protesto deram a resposta à Europa que teimou numa austeridade que está a conduzir este e outros países a um beco sem saída.

Ouvir Passos Coelho falar em “conto de crianças” ao referir-se ao programa do Syriza, é confrangedor, porque ele ainda não percebeu que os portugueses também já estão fartos dos seus desmandos, fartos da austeridade inútil imposta pela Europa e pela troika, e fartos das declarações de que as coisas estão a melhorar, quando sente na pele exactamente o contrário.

Conto de crianças é afirmar-se que a dívida pública é sustentável, que é compatível pagar a dívida e os seus juros, ao mesmo tempo que se criam condições para o crescimento.


Passos Coelho perdeu uma boa ocasião para estar calado e a oportunidade de apoiar, activa ou discretamente, a posição grega, porque daí Portugal poderia colher benefícios.  


2 comentários:

maceta disse...

este palerma já causa náuseas...

cumpts

Anónimo disse...

Este lambe botas da Merkel só serve para lixar Portugal que já paga mais juros do que a Grécia, só por causa da sua teimosia burra...
Lol

AnarKa