sexta-feira, novembro 14, 2014

ESTADO E CONFUSÕES



Este governo tem vindo a desrespeitar os funcionários públicos de todas as maneiras possíveis, seja retirando-lhes direitos, seja castigando-os com cortes específicos, mas também os tem desmoralizado sugerindo que são culpados pelo estado das finanças públicas, o que é um perfeito disparate.

Ao afirmar reiteradamente que o Estado é ineficiente, o governo nunca assume as suas culpas, antes continua a nomear cada vez mais gente da sua confiança para os lugares chave da máquina do Estado, afirmando que esses sim são os mais válidos.

As coisas mudam de figura quando existem suspeitas de actos de corrupção, tráfico de influências, branqueamento de capitais, ou favorecimento, porque aí já não se diz que são os dirigentes situados em cargos de nomeação, muitas vezes sem qualquer vínculo ao funcionalismo público, que estão em causa, antes usam termos como altos quadros do Estado, apesar de não ser uma afirmação rigorosa.



1 comentário:

São disse...

Essa campanha de imensa estupidez de culpar os funcionários públicos começou com o reformado de Boliqueime ainda antes de recolher ao Lar de Belém.

O pior é que há quem ainda acredite e defenda "os tiranos contra os pais".Aliás o mesmo acontece com as reformas !!

Saudações cordiais