sábado, dezembro 06, 2008

INDIGNAÇÃO

Alguns dos meus últimos artigos têm-se virado para problemas económicos e para as soluções encontradas pelo Governo para lhes acudir, que muitas vezes são mais do que questionáveis.


Quando a economia corre mal, todos os sectores se ressentem da situação e por essa via, os mais desprotegidos são sempre os que mais sofrem com isso. Nos tempos que correm, e devido às políticas levadas a cabo na última década, os ricos estão cada vez mais ricos e, com a quase extinção da classe média, há cada vez mais pobres.


Os pobres de hoje já não são apenas os sem abrigo de há algumas décadas atrás, ou os marginalizados e os desempregados. A pobreza agora atinge muita gente com empregos mal remunerados, muitos trabalhadores precários, com contratos a prazo ou com recibos verdes, muitos jovens que não conseguem entrar no mercado de trabalho e muita gente de meia idade, considerados velhos para arranjar colocação e muito novos para se poderem reformar.


A pobreza envergonhada é a cada dia que passa mais visível, mas ainda há quem defenda com unhas e dentes o sistema que nos trouxe a este ponto. Defendem ainda mais precariedade no trabalho, o investimento não produtivo, para não dizer especulativo, como o caso do BPP, e menos Estado, embora a ele recorram sem nenhuma vergonha, como agora acontece.


Será que a grande maioria dos portugueses, que vêem com apreensão o seu futuro e o dos seus filhos, continua a acreditar neste sistema, onde aos reais problemas de subsistência, apenas resta a caridade de instituições como o Banco Alimentar e as Misericórdias, bem como outros projectos comunitários, bem intencionados, é certo, mas que distribuem apenas as esmolas que vão angariando junto dos que ainda podem contribuir com algo para ajudar os que estão em grandes dificuldades?


Não é este o futuro que eu quero para os meus filhos e netos. Não acredito em socialistas e sociais-democratas que se dizem liberais quando as coisas correm de feição, e metem a viola no saco quando as coisas ficam negras e chupam sem vergonha o dinheiro que devia servir para prover aos mais necessitados. Foi este sistema que causou tudo isto. Alguém acredita que possa mudar, se os protagonistas são os mesmos? Não com o meu voto!




««« - »»»
Imagens Escolhidas
African Continent by BenHeine

Penniless by BenHeine

Economic Crisis in the US by BenHeine

What Next ? by BenHeine

11 comentários:

Jorge Borges disse...

A crise está sobretudo a atingir aqueles que não interessam aos governantes, os desempregados, os idosos, os possuidores de pensões de sobrevivência vergonhosas, entre os quais me incluo. O que é que se pode fazer com 300 euros mensais, no melhor dos casos, ou sem mesmo nada?
Para o governo, esta franja da população nem conta como eleitorado!

Um abraço

Sophiamar disse...

Isto não tem ponta por onde se pegue, amigo. Nada está bem. É a justiça, é o ensino, é a economia...
Os pobres estão cada vez mais pobres e aqueles que até há pouco viviam com uma parca pensão de reforma estão já a recorrer a instituições de solidariedade social.E muitos mais recorrerão a curto prazo. Que desgoverno!
Com o meu voto não contam. Que desencanto!

Um abraço

adrianeites disse...

a esquerda tem exactamente os mesmos vicios, os mesmos erros, as mesmas farças, as mesms "merdas" que a direita, o centro direita, o centro esquerda e o centro...

Não tem filiação partidária e jamais o teria, náo acredito no sistema politico porque as teorias politico-partidarias, as ideologias de base, os valores defendidos pelos agentes politicos esbarram-se no facto dos partidas, da politica serem compostos por pessoas... e as pessoas são seres perfeitamente imperfeitos... que normalmente gostam de olhar apenas para o próprio umbigo...

Discordo do nosso sistema politico. As eleições de 4 m 4 anos fazem com que os governos sejam um pouco austeres na primeira parte do mandato alegando que estão a corrigir a pesada herança do executivo anterior, e o segunda parte do mandato com actos de gestão irresponsaveis a pensar nas eleições...

Somos um povo que ja levamos 17 governos em 34/35 anos e não tiramos ilações disso...

Somos um povo que se galvaniza em torno de uma bandeira na janela e que pensa que "tudo o que se tira do estado é bem feito, contra esses que fod..."

Somos um povo que critica com a mesma facilidade com que respira, sem ponderar minimamente...

Quando se orçamenta algo, manda a boa gestão, que se preveja saldo, manda pelo menos o bom senso que as receitas sejam suficentes para cobrir as despesas... em porugal discute-se o valor do défict... 2.2, 2.8,...

bom fim de semana

Papoila disse...

INDIGNAÇÃO!Esse é o sentimento que partilho ao ver desbaratar a Economia do Estado a favor da Banca. Votarei em branco!
Beijos

O Guardião disse...

Caro Adrianeites
Não me revejo em nenhuma força política com representação parlamentar, e se me refiro concretamente ao PS e ao PSD, é pela simples razão de que entre si têm repartido o poder nas últimas décadas. Não invoquei qualquer teoria política de esquerda ou de direita, antes me insurgi contra a acção do Governo, que privilegiou uns em detrimento de outros, objectivamente no caso do BPP. Falei de dignidade, e critiquei o sistema por cada vez mais ser necessário recorrer-se à caridade. Não será com avales a negócios especulativos, como o é o BPP, que se criará riqueza e emprego neste país, isto é uma certeza que tenho.
Com o meu voto, reafirmo, não contam de certeza os senhores que tão mal nos têm dirigido.
Cumps

Tiago R Cardoso disse...

este sistema está esgotado e a gora baseia-se na colocação de remendos.


Um a sociedade egoísta virada para o "eu", uma sociedade consumista que perde os valores morais e humanos.

Atentados, guerras, fome, desigualdades, enfim... no entanto acredito que exista uma esperança para isto tudo.

caso contrário as distancias entre os que têm muito e os que não têm nada vão aumentar, um dia a classe média desaparecerá.

Carla Silva e Cunha disse...

beijos

carla

www.arte-e-ponto.blogspot.com

adrianeites disse...

eu deixei apenas a minha opinião.. não fiz nenhuma critica nem insinuação...longe disso!

O Guardião disse...

Caro Adrianeites
As opiniões são sempre bem recebidas, eu só pretendi aclarar a minha, sem prejuízo de naturalmente haver outras. A diversidade de opiniões é uma característica da democracia, de que eu sou também um defensor.
Cumps

Anónimo disse...

Ao falar de pobreza não se refere aos políticos com certeza, porque esses saem da política e ficam quase sempre estupidamente ricos em pouco tempo. Alguns chamuscam-se com uns escândalos que se dão nas suas proximidades, mas que desconhecem em absoluto apesar de andarem por perto e com altos cargos e responsabilidades. Vamos lá a ver se no futuro não se queimam a sério com tanta trapalhada que anda no ar.
Lol

Anarka

tulipa disse...

Vim aqui, entretanto, dizer que daqui p’ra frente este blog é um Masterblog!
Embora não tenha escrito no post, os nomeados, tenho o direito de eleger quem eu quero, visitando os blogs dos amigos, como estou a fazer.
Podes levar também o selo de:
I LOVE YOUR BLOG, porque é verdade!!!

Bom feriado.