segunda-feira, novembro 16, 2015

MAIS UMA TRAPALHADA DOS BANCOS



O caso do BES, e depois do Novo Banco, como veio a chamar-se o “banco bom”, está a mostrar a face mais sinistra das entidades bancárias, que quando são chamadas a assumir as suas responsabilidades,” fogem sempre com o rabo à seringa”, deixando os maus resultados da sua actividade para os contribuintes.

Já se tinha visto que “quando estão com as calças nas mãos”, lá vem o Estado (contribuintes), assumir encargos e a sua responsabilidade, para poderem recapitalizar os bancos, e invariavelmente não se vê ninguém ser condenado, mesmo quando é claro que houve má gestão e até gestão danosa do dinheiro dos depositantes.

Para tapar os olhos aos contribuintes são criados instrumentos de salvaguarda para situações de dificuldades nos bancos, como o Fundo de Resolução, ou o Fundo de Garantia dos Depósitos, que responsabilizam os bancos no seu conjunto a assumir responsabilidades perante os depositantes, mas isso é apenas na teoria, porque na realidade os bancos acabam sempre por escapar entre as malhas da lei, e são sempre os contribuintes a pagar os prejuízos, como vai acontecer, de novo, com o Novo Banco.


2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

É, o povo paga sempre as contas.
Já lá diz o ditado. "Quando o mar bate na rocha, quem se lixa é o mexilhão"
Um abraço e uma boa semana

Anónimo disse...

O Banco de Portugal dá uma ajudinha, o maioral fica nas boas graças da alta finança, os tachos ficam-lhes reservados, e tudo como dantes no quartel de Abrantes
Lol

AnarKa