terça-feira, setembro 08, 2015

JUSTIÇA E TRABALHO



Foi recentemente criado um sistema de protecção das trabalhadoras grávidas que impede que as empresas que despedem (ilegalmente) por esse motivo, e que são condenadas, deixam de poder beneficiar de subsídios ou subvenções públicas.

A medida peca por tardia e por não existirem meios adequados que protejam quem trabalha, como inspecções mais frequentes, e maior cruzamento de dados que, com legislação adequada, acabassem também com a utilização de falsos recibos verdes e o uso sistemático de contratações a prazo de desempregados, para obtenção de isenções fiscais, sem nunca serem preenchidas as vagas que são necessárias ao funcionamento normal das empresas.

Claro que o Estado e as empresas de capitais públicos também não são bons exemplos nesta matéria, porque também por lá existem os falsos recibos verdes, desempregados a desempenhar funções permanentes recebendo apenas subsídios de transporte e de alimentação, e estagiários assegurando o serviço por não se poderem abrir concursos.

Há muitos sítios onde encontrar trafulhices que prejudicam quem trabalha, lesam o fisco e sobretudo envergonham uma sociedade onde a Justiça devia prevalecer relativamente aos interesses particulares.   



4 comentários:

Anónimo disse...

A foto parece Portas a segurar num submarino eh ,eh ...ah afinal é um macaco com uma banana



https://www.facebook.com/antonio.cravo/videos/10200613936466796/

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=uFP9ihHDx6s

Anónimo disse...

Eu vou votar na esquerda !!!

Anónimo disse...

O que tem que ser tem muita força


https://www.youtube.com/watch?v=LOHLCmivnBo