terça-feira, novembro 05, 2013

GOVERNANTES E A FALTA DE CHÁ



Para não dizer que temos governantes de baixo nível ou de muito mau gosto, os portugueses adoptam o termo da falta de chá para os caracterizar.

Desta vez foi da China que chegou a acusação, dirigida a Paulo Portas que terá chegado atrasado a um encontro importante que teve lugar no consulado de Portugal em Macau, onde estavam, além de membros da comunidade portuguesa algumas entidades chinesas. Pelos vistos o vice-primeiro-ministro não levou muito a sério o protocolo, nem os costumes chineses, chegando atrasado a uma recepção, quando devia ter tido em conta a possibilidade de imprevistos, e ter antecipado a chegada para não fazer figuras destas.

Dentro da mesma bitola esteve também Nuno Crato, quando sem pudor nenhum veio defender em público que não se podia dispensar mais austeridade para 2014, usando como argumento que para pagar a dívida total do Estado, todos os portugueses teriam que “trabalhar um ano sem comer”.

Eu acho que estes governantes “deviam ir a banhos”, neste caso de chá bem forte como o de Milange, uma zona planáltica lá da minha terra. 


Antiga embalagem dum óptimo chá

4 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Parece que anda aí uma epidemia, que faz subir os intestinos à cabeça dos ministros. A ver vamos se alguém inventa uma vacina.
Um abraço

Anónimo disse...

Esse chá era uma delícia mas depois veio outra(s) embalagem e desapareceu das prateleiras aqui da zona
Bjos da Sílvia

maceta disse...

metidos num saco e deitados ao rio...

MARIA disse...

A estes ministros já não há nada que lhes valha.
Portugal é que precisa urgentemente de um milagre, e bem grande!
Os ministros deviam todos ir para o raio que os partam.
Alguns deveriam ser julgados por traição.