segunda-feira, novembro 18, 2013

AS “VERDADES DE PASSOS” E A REALIDADE



Há muito que não dá para acreditar no que diz Passos Coelho, o mesmo que afirmou que não iria cortar salários, despedir funcionários ou fazer mais cortes, mas a cada dia que passa surgem mais evidências de que o que ele diz não coincide com a verdade.

O ataque feroz aos funcionários públicos tem sido uma constante, por parte do governo de Passos Coelho, e o seu argumento tem sido sempre o de diminuir a despesa pública, por imposição da troika e para conseguirmos seguir os passos da Irlanda.

Os dados concretos demonstram que a Irlanda conseguiu diminuir, durante o programa imposto pela troika, em 1,6 pontos percentuais a despesa com os salários públicos, passando de 12,8% para 11,2%. Em Portugal a descida foi maior, de 12,7% para 10,6%, o significa um corte de 2,1%.

Invocar a Irlanda como modelo para cortar ainda mais é a negação das evidências, e era bastante mais sensato procurar saber porque é que o desemprego aumentou mais em Portugal do que na Irlanda, como é que a Irlanda balanceou o seu défice (bastante maior do que o nosso mesmo em 2013), coisas que talvez expliquem melhor porque é que a sua economia desceu menos do que a nossa, porque é que já apresenta crescimento consistente, e porque é que tem taxas de juro mais favoráveis.

Eu sei que é pedir demasiado a Passos Coelho que prefere ser um pau mandado da senhora Merkel, sobre quem cai o ónus da sua subserviência, mas ele é que é o actual 1º ministro.



3 comentários:

MARIA disse...


Na Irlanda não há coelhos iguais ao de Portugal!

São disse...

Estes biltres que a maioria do "melhor povo do mundo " elegeu estão abaixo de toda e qualquer classificação . Aliás, como o reformado de Boliqueime, seu cúmplice nas trafulhadas e na destruição do país!!

Tudo de bom

Gilberto Fernandes Teixeira Teixeira disse...

Para esse "Coelho" não seria apropriado um cabresto?