sábado, março 29, 2008

COMBATER A PRECARIEDADE

Realizou-se ontem em Lisboa uma manifestação essencialmente de jovens contra o desemprego e a precariedade laboral. Talvez eu não tivesse abordado o tema nem a manifestação, caso os participantes fossem maioritariamente, pessoas mais velhas, não por que o assunto não mereça a devida relevância, mas porque esta luta sem a participação dos jovens, os mais atingidos pela precariedade, não faz grande sentido.

O trabalho precário e o elevado número de desempregados tem servido às entidades empregadoras para pressionarem os salários para baixo, diminuindo o rendimento dos que trabalham. A precariedade é um travão bem real para quem pretenda reclamar os direitos legalmente consagrados na Lei, já que isso significa na maioria dos casos a dispensa do reclamante no término no contrato, se não antes.

O abuso no recurso ao trabalho temporário é flagrante, como flagrantes têm sido as fugas às devidas prestações sociais, a que a imprensa tem vindo a referir-se com alguma frequência. Mais grave ainda é que o patrão Estado, seja o maior empregador de contratados a prazo e até de alguns falsos recibos verdes, como é público.

Empregados ou desempregados, dos quadros ou em situação precária, todos são vítimas desta situação, que a uns diminui os rendimentos do trabalho e a outros condena a uma instabilidade que afecta as suas vidas, material e emocionalmente.

««« - »»»
Pinturas
Enemy Sighted by FlameRaven

morning by renatoart

««« - »»»

Humor dos States

Steve Benson

Gary Varvel

Bob Englehart

12 comentários:

C Valente disse...

Saudações amigas e bom fim de semana

Pata Negra disse...

Somos todos precários, só não são precários os que se precaveram ao serviço da precariedade alheia.
Os nossos governantes são nossos inimigos!
Um abraço amigo

aryanalee disse...

Adorei o gatinho!
Ele simboliza a paz e a ternura.
Um bom fim de semana

Anónimo disse...

Os jovens começam a aperceber-se de que a precariedade em nada os beneficia e que o resultado desta política é o seu desemprego ou o dos seus pais, e os salários não são condignos porque a palavra de ordem dos patrões é, quem não está bem muda-se.
Bjos da Sílvia

Entre linhas... disse...

Claro que estou de acordo com o o texto na sua toatlidade,pois existe cada vez mais imperatividade por parte das entidades patronais.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Mocho-Real disse...

Bonecos bem giros, como habitualmente!

O escrito é uma denúncia do conluio real Estado-Patronato em detrimento da segurança e do livre exercício de direitos dos contratados a prazo.
A greve é uma arma? Já foi! Agora, um contratado a prazo nem pode pensar nela se quer continuar a trabalhar. E, por isso, o Estado alimenta e engorda esta situação que poderia ser de excepção, mas nunca um princípio geral de relação laboral.

Os meus cumprimentos.

Bruno Taveira disse...

Boas Guardião!
Este país é uma verdadeira precariedade...e a geração do 500 euros a recibos verdes?
Enfim...um bom fim de semana até breve...;)
Brutoon

Sophiamar disse...

Neste momento, somos todos precários. Até quando continuaremos neste barco?

Beijos

Bom fim de semana!

Ludo Rex disse...

Contra o desemprego e a precariedade laboral, Sempre!
Bom Fim de Semana

Meg disse...

Amigo Guardião,
Hoje estou completamente precária, só quis vir dar-te um abraço e dizer que gosto de ti.
Depois venho ler.

Um abraço

Sophiamar disse...

Guardião, Amigo!

Passei para reler e deixar-te um beijinho.

Boa semana!

José Miguel Gomes disse...

Gosto da música que escolheste :)

Precariedade? Ah, isso é só noutros países! :)

Fica bem,
Miguel