sexta-feira, janeiro 23, 2015

DIVÓRCIO ENTRE ELEITOS E ELEITORES

Muitas das medidas de austeridade que têm vindo a ser implementadas mostram o completo divórcio entre quem governa e os governados, não só pela sua natureza iníqua, mas também pela injustiça que é criada, desde logo porque existem grupos que influenciam mais o poder que outros, a quem o poder mais castiga.

A consequência deste divórcio é o que se está a passar neste momento na Grécia, onde os cidadãos vão votar num partido novo, não apenas porque querem mudar, mas sobretudo porque se recusam a votar naqueles que destruíram a sua esperança num futuro melhor.

Os políticos que passam pelo poder não querem aprender a servir os seus povos, porque nem sequer conhecem as suas dificuldades, nem com eles querem dialogar.

Um caso bem elucidativo deste divórcio chega-nos da Rússia, onde um deputado da assembleia regional duma cidade veio propor à população que coma menos enquanto durar a crise económica resultante da baixa dos preços do petróleo. É curioso que tenha afirmado que “os banquetes natalícios já passaram e as pessoas encheram os estômagos”, e também ”se faltam recursos há que recordar que somos todos russos, que já passámos fome e frio… há que pensar na saúde… por exemplo comer menos”, propôs.


Não consta que nos países com políticos deste calibre existam muitos ex-políticos que estejam na miséria… 


2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

O mundo está perdido. O ministro japonês quer matar os idosos. Os russos querem a população a pão e água. Onde é que isto vai parar?
Um abraço e bom fim de semana

São disse...

Está tudo virado do avesso!!!

Ou sou eu que endoideci?!

Saudações