domingo, junho 17, 2012

OS CUSTOS DE CONTEXTO

As duas troikas, a nacional e a internacional, esfalfam-se a falar na competitividade para reduzirem o custo do trabalho, dizendo que assim o país sairá da crise e que tudo o que produzimos será exportável ou consumido por um mundo ávido de tudo o que seja português. 

A verdade está muito longe deste discurso batido e datado, pois nunca será pelos salários baixos que seremos competitivos, nem tão pouco é esse o factor que mais pesa no custo do que se produz. O que seria da Alemanha, da Holanda ou da Dinamarca, se fossem os salários que mais pesassem no que por lá se produz?

É sempre mais fácil atacar os salários e quem trabalha do que questionar os preços de outros factores de produção, como os impostos, a energia eléctrica, o gás e os combustíveis, já para não falar dos transportes, na burocracia e na justiça. 

O poder económico e político confundem-se, e os seus interesses acabam por ser os mesmos, sendo que os políticos ignoram os interesses e as necessidades da maioria para beneficiar os interesses de uns poucos. 

Um dia a casa vai abaixo! 

««« - »»»
Humor dos Explorados

4 comentários:

elvira carvalho disse...

Acredito que sim.
Um abraço

Anónimo disse...

Deixem de eleger os mesmos glutões...
Lol

AnarKa

São disse...

E porque escolhem sempre os mesmos, mesmo já condenados em Tribunal?

Bom serão

Metalurgia das letras disse...

O pior é que a memoria do povo parece não acompanhar os movimentos destes glutões. As opções de voto também deveria passar por um processo seletivo. O melhor "curriculum vitae" de um político por cá é ser larapio de cara lavada.