terça-feira, junho 22, 2010

CONCESSÃO OU EXPLORAÇÃO?

O caso das portagens e dos chips que dizem ser obrigatórios já a partir de dia 1 de Julho, faz-me recordar D. João II, o Príncipe Perfeito. Este rei que sucedeu a D. Afonso V, recebeu um reino exaurido e com os cofres vazios, por isso afirmo; “Herdo apenas as estradas de Portugal”.

Nos nossos dias nós nem podemos dizer o mesmo que o monarca, porque as estradas que já pagámos com os nossos impostos, estão agora concessionadas a empresas que apenas se preocupam com o lucro e não com a utilidade pública que esses equipamentos têm para a economia do país. A culpa talvez até nem seja dos concessionários mas sim dos governos que vão vendendo Portugal às prestações.

Tudo o que era para ser gratuito é agora para pagar, e bem caro. Mas a preocupação em garantir o lucro aos concessionários, leva a que sejamos obrigados a comprar equipamentos electrónicos que evitam a contratação de portageiros, e fazem que a obrigatoriedade de postos SOS nas estradas anteriormente concessionadas, passem a ser letra morta.

Vale tudo para garantir o lucro a uns quantos, à custa dos utentes que pagam as estradas por diversos carrinhos, começando nos impostos da compra das viaturas, ao imposto de circulação, passando pelo ISP, não esquecendo o eco valor dos pneus que acabam por ser transformados em pavimento das estradas a baixo custo.

Que diria D. João II se herdasse este país agora? Fui roubado!



««« - »»»
Fotos e Pedaladas



««« - »»»
Maré de Humor Negro
Marian Kamensky

Vic Harville

4 comentários:

São disse...

Decerto que o diria, mas como era rei alguma coisa faria...o que connosco não acontece: teremos que obedecer e nada mais.

Boa semana.

MARIA disse...

Meu amigo, atingimos o ponto do intolerável, mas realmente além de nos queixarmos, uns mais que outros, que fazemos?!....

Um beijinho amigo

Marreta disse...

Quem vai sustentar todos os trocados por chips daqui a 20 anos?...

Saudações do Marreta.

Anónimo disse...

O que João II diría não sei, mas talvez usasse da violência e castigasse os culpados de tanta malfeitoria, como fez no início do seu reinado.
Bjos da Sílvia