terça-feira, março 04, 2008

JORGE DE SENA

Morra o bispo e morra o papa

Morra o bispo e morra o papa.
maila sua clerezia.
Ai rosas de leite e sangue.
que só a terra bebia!
Morram frades, morram freiras.
maila sua virgaria.
Ai rosas de sangue e leite.
que só a terra bebia!
Morra o rei e morra o conde.
maila toda fidalguia.
Ai rosas de leite e sangue.
que só a terra bebia!
Morram meirinho e carrasco.
maila má judicaria.
Ai rosas de sangue e leite.
que só a terra bebia!
Morra quem compra e quem vende,
maila toda a usuraria.
Ai rosas de leite e sangue.
que só a terra bebia!
Morram pais e morram filhos.
maila toda filharia.
Ai rosas de sangue e leite.
que só a terra bebia!
Morram marido e mulher.
maila casamentaria.
Ai rosas de leite e sangue,
que só a terra bebia!
Morra amigo, morra amante.
mailo amor que se perdia.
Ai rosas de sangue e leite,
que só a terra bebia!
Morra tudo, minha gente.
vivam povo e rebeldia.
Ai rosas de leite e sangue.
que só a terra bebia!

Jorge de Sena
Biografia AQUI


««« - »»»

Olhares

Rangitoto at Twilight by *karlandrews

Tubs

««« - »»»

Humor
Alperen KÖSEOGLU - Turkey

Alperen KÖSEOGLU - Turkey

10 comentários:

Anónimo disse...

Bonitas imagens e desenhos :-)

Abraço de boa semana,
MAria

Anónimo disse...

Um dia maupor aqui, parece-me. Jorge de Sena ilustra bem o humor.
Bjos
Sílvia

papagueno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
papagueno disse...

Cada vez que o Papa ou o nosso Cardeal Patriarca abrem a boca só me lembro deste poema.
Isto a propósito das recentes declarações do Cardeal acerca da natalidade em Portugal.
Excelentes imagens e cartoons, o mundo na corda bamba.
Um abraço.

Spectrum disse...

J.S. tem sido injustamente votado ao ostracismo. Impera de novo - cheiro a regime antigo - o culto dos medíocres que não entendem a arte, nem as palavras. Amálias, Eusébios e Fátimas vendidos/as a poderes obscuros.
Abraço

Tiago R. Cardoso disse...

está tudo dito, tirando o excelentes imagens.

Sophiamar disse...

Divinal, guardião. Li, reli e observei. A cor,o humor, o ambiente....fantástico.

Beijinhosssss

SILÊNCIO CULPADO disse...

Guardião

Jorge de Sena foi sempre um dos meus poetas favoritos.

Este poema é lindo bem como as excelentes imagens que escolheste.

Escolhi para ti esta quadra dum poeta da minha terra, António Aleixo:

"Tu que tens saber profundo,
que és engenheiro e vês bem
ergue uma ponte onde o mundo
passe sem esmagar ninguém."

Um abraço

Mocho-Real disse...

O Jorge de Sena mordaz e verdadeiro, como sempre o conheci desde os meus vinte anos.

Cumprimentos.
Jorge G.

Paulo Vilmar disse...

Guardião!
"...De mim não falo mais :não quero nada.
De Deus não falo:não tem outro abrigo.
Não falarei também do mundo antigo,
pois nasce e morre em cada madrugada."...
Esse eu conhecia!
Grande Jorge de Sena, sempre atual!
Abraços.