quinta-feira, julho 08, 2010

O ECONOMÊS

Eu tenho grande dificuldade em entender as cabecinhas pensantes deste país, que tão depressa segue as instruções que vêm de fora, como logo a seguir faz o contrário.

A maior chaga das sociedades europeias é reconhecidamente o desemprego. Como diz a OCDE, para se regressar aos níveis de actividade do final de 2007, é necessário criar, só em Portugal, 170 mil empregos.

Sabemos todos que o sinal maior dos erros na esfera económica, é o monstro do desemprego, e que a Europa e o estado social que a caracteriza, não poderá resistir a m nível tão elevado de gente sem emprego.

A verdade é que em Portugal, e um pouco por toda a Europa, a prioridade única é com o défice e com a dívida pública, que se traduz numa contracção económica que gera mais desemprego e a desvalorização do factor trabalho, com um proteccionismo descarado das entidades bancárias e outras ligadas à grande economia.



5 comentários:

São disse...

Há muitoooos anos que se sabe que muita gente qualificada não entraria no mercado de trabalho.

Mas , como sempre, tudo chega com acentuado atraso ao nosso país.

E, além disso, ninguém se preocupou a arranjar solução para o problema nem sequer nos países que tinham noção do que estava para acontecer!

Saudações.

Vieira Calado disse...

Mas... é preciso calma!

Não disse o nosso 1º que iria criar
150 mil em pregos...
Só faltam 20 mil...

E se têm votado no CDS, já teríamos 150 mil empresas, conforme foi prometido!

150 mil, vezes x empregados cada empresa, teríamos de importar mais umas centenas de milhares de imigrantes!

Um forte abraço

ana p roque disse...

Cabecinhas pensantes deste país?Quais?As que estão no comando de tudo?Aquilo pensa?Só se for para dentro!Andam mais ao sabor da maré que lhes convém!Para eles quanto mais desemprego houver melhor.Assim podem obrigar um desempregado em desespero a agarrar qualquer trabalho quase a custo zero para o patronato.Mas é que nem vos passa pela cabeça,as situações que vamos encontrando por aí!Pessoas altamente qualificadas,tipo Relações públicas da TAP,Bancários,Professores com Mestrado,etc,tiveram que se sujeitar ao trabalho precário,trabalhando duro por miseros tostões,MÍSEROS MESMO,se não trabalham,não ganham,pagos á hora,férias podem ter,mas não ganham.Quando se chega ao ponto de tirar 20€ de uma mísera reforma dos idosos,está tudo dito!

Dá revolta,vontade de bater,naquelas cabeçinhas pensantes!

cumps

ana p roque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana p roque disse...

Peço desculpa,apaguei o 2ºcomentário porque faltava acrescentar mais uma nota.

Sabem quanto ganham por cada hora de trabalho?2.75€,subsidio de almoço,0.60€ por hora,se têm um atraso de/ou até 5 minutos,é descontado no ordenado.
Cada vez que Portugal jogou no Mundial,o trabalho era suspenso por 2ou 3 h,decisão da empresa,mas o salário não era pago.São os trabalhadores que têm culpa da decisão da empresa?Já pagam muito,mesmo assim é dinheiro nos cofres,tirar um pouco a cada trabalhador...
Esta decisão deu origem a que os trabalhadores fizessem horas para compensar a falta daquelas horas!Que bem que se está neste país!!!
Só falta o xicote!