terça-feira, abril 13, 2010

UM TACHO DE CIMENTO

Os ventos liberais que sopram dentro do PS de Sócrates, e agora também no PSD com esta nova gerência, não descansam nenhum português preocupado com mercados justos e preocupações sociais.

O “S” que ambos partidos usam nas suas siglas é um mero apêndice enganador, que serve apenas para iludir distraídos ou pouco atentos cidadãos. As preocupações sociais são incompatíveis com um liberalismo selvagem, por falta de verdadeira regulação dum Estado descomprometido com quaisquer interesses económicos.

A imagem que estes dois partidos projectam é a de quererem posicionar pessoas das suas hostes em lugares de decisão em empresas chave, para obterem por interpostos indivíduos, cobertura para alcançar objectivos precisos, que não são coincidentes com o interesse público.

Até hoje ainda não se tornou claro se os dois altos quadros da PT que são suspeitos no caso da TVI foram nomeados por indicação do governo, ou não, o que é completamente aberrante, e ainda assim assiste-se ao espectáculo ridículo da guerra de nomes para a administração da Cimpor, onde figuraram ex-políticos, que parece ter terminado com a escolha de um deles, que por acaso, esteve numa pasta ligada ao negócio que a empresa desenvolve.

Será que é necessário alterar a Constituição para obviar a esta promiscuidade entre a política e os negócios, ou será que basta respeitar as incompatibilidades óbvias? É que com este espectáculo ficamos todos com a impressão que a política deixou de ser uma actividade nobre, em que o interesse público está acima de tudo, para se tornar numa profissão onde os interesses pessoais e os do partido estão em 1º lugar.



««« - »»»
Fotografia da Boda
A dog wedding by FullFrame.no

««« - »»»
Caricaturas e Cinema
Jim Carrey by Sebastian Kruger

Brad Pitt By David Pablo Pugliese

7 comentários:

Anónimo disse...

São todos muito liberais, mas é com o dinheiro dos outros, e os outros somos nós!
Lol

AnarKa

Marreta disse...

Então mas isto é alguma novidade? Então neste país não reinam o lóbi e o compadrio? Então a economia nacional que subsiste não é fomentada e gerida através de lóbis de interesses que enchem a pança aos mesmos de sempre? Então não é verdade que isto está à vista de qualquer um e que ninguém com responsabilidades políticas e sociais faz patavina para inverter a situação? Não é também verdade que é o POVO o principal suporte desta podridão imensa ao tolerar e eleger escumalha desta para traçar os seus desígnios?

Saudações do Marreta.

São disse...

Continuam os compadrios, as cunhas, a corrupção e a desvergonha total!!

E nós pagamos para assistir!!

Tudo de bom.

Pata Negra disse...

Preparam-se para alterar a constituição, chegarão a acordo para acabar com esse resto de Abril. Alterarão a lei eleitoral de modo a eliminar os pequenos partidos e eliminarão os pontos que sistematicamente violam na constituição!
O descaramento com que ambos jogam ao "foi ao ar, perdeu o lugar", com que saqueiam, com que atiram as culpas aos pobres trabalhadores, só terminará com outro 25 de Abril!
Um abraço da república

Anónimo disse...

Um bloco de cimento em volta dos pés e um mergulho no Tejo, era remédio santo para esses liberais de pacotilha.
Bjos da Sílvia

zé lérias disse...

Pois é! Isto de democracia para o povão não existe. O que existe é a "democracia" que eles nos querem continuar a impingir. Não é por acaso que os sabidões cada vez controlam mais os meios de comunicação social e o ensino privado e público (para continuarem a ter a maioria das pessoas sem saber ligar as coisas).

http://www.youtube.com/v/q21rM03_R18&hl=pt_BR&fs=1&" type="application/x-shockwave-flash

LopesCa disse...

hehe eu gostei dos noivos :)