quinta-feira, setembro 25, 2008

CURTINHAS

A desculpa – José Sócrates passou pelo Parlamento e durante o debate quinzenal passou ao lado de quase todas as questões colocadas, o que nem me espantou nada. O facto mais notável deste debate terá sido, para mim, rejeitar a discussão do casamento homossexual, com a desculpa de que não está no programa do Governo. Fantástico, porque também lá não estava o pagamento nas Scut’s, o aumento dos impostos nem a criação de taxas de internamento, mas afinal aconteceram por iniciativa do Governo. Que raio, não há ninguém que traga o tal programa no bolso e o leia em todos os debates?

O Magalhães – O famigerado coelho tirado da cartola nos últimos dias, que fez com que o Governo em peso fosse às escolas, afinal vai ser vendido ao público por 285 euros. Segundo a propaganda do Governo cada “brinquedo” destes tem um custo de produção de 180 euros, o que implica um investimento de 80 milhões de euros. O que eu gostava de ver explicado é como se chega ao preço final, ao público, com um acréscimo de 60%? Cheira-me a esturro!



««« - »»»
Arte Digital
Cyber-Neo by vulcania

Autumn bouquet by manapi

««« - »»»
Caricaturas de Famosos
The Gallery of caricature Wouter Tulp from Nederland

The Gallery of caricature Wouter Tulp from Nederland

14 comentários:

RV disse...

É por essas desculpas de ocasião que os políticos não me merecem consideração. Têm a hipótese de dizer "não é um assunto para agora" mas optam por atirar areia aos olhos com desculpas que eles julgam que ninguém topa. Mas alguém gosta de ser tomado por parvo? "Eles" pensam que sim, ao que parece.

RV disse...

"cada "brinquedo" destes tem um custo de produção de 180 euros"

Ah esta não sabia. isto foi notícia nas TV?

C Valente disse...

É só bla´blá blá o importante nada resolvem
Saudações amigas
Já viram um PM a vender computadores, pois bem em Portugal isso é possivel
Saudações amigas

O Guardião disse...

Caro RV
O custo anunciado de 180€ foi anunciado na TV, mas também veio escrito no DN de 23/9 na página 12. O preço de 285€ anunciado para as lojas FNAC é mais recente e até teve publicidade na rádio.
Cumps

RV disse...

Obrigado :-)

Anónimo disse...

O gajo que até gostava dos «temas fracturantes» agora dá a nega aos Jotas, e não emite opinião. A proximidade das eleições tem destas coisas, pá!
Lol

AnarKa

Rui Figueiredo Vieira disse...

Bom, aproveito só para deixar os meus parabéns por este fantástico blog. Hoje já é o terceiro que encontro... Quanto ao tema, penso que o nosso Governo está repleto de pessoas com ideias, os também chamados pelo povo de "idiotas", as ideias são muitas e originais, sempre em colaboração com o bolso do contribuinte. abraço

Ferreira-Pinto disse...

Isto não tem nada que saber ... o que é preciso é anunciar uma medidas, dar umas coisitas e logo se anestesia o maralhal!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Guardião
Aos poucos vamos percebendo as "vantagens" do Magalhães.Pelo menos para os bolsos de uns quantos.
O preço de 285 euros será exorbitante se não trouxer o office instalado.
Mas que importa o que nós pensamos quando temos o marketing político em toda a sua força e os lucros materiais sempre e mais para os mesmos?
Abraço

Tiago R Cardoso disse...

Resumindo o governo continua ausente e só aparece para publicidade.

Papoila disse...

Guardião:
O PM esqueceu-se do programa eleitoral e tornou-se um óptimo vendedor de portateis...
Beijos

Pata Negra disse...

Estamos sem primeiro ministro, agora o homem tornou-se em vendedor de computadores e anda pelas escolas. Faz lembrar aqueles fotógrafos melgas que se impingem às professoras para vender fotografias das criancinhas!
Um abraço do magalhães

Pata Negra disse...

Estamos sem primeiro ministro, agora o homem tornou-se em vendedor de computadores e anda pelas escolas. Faz lembrar aqueles fotógrafos melgas que se impingem às professoras para vender fotografias das criancinhas!
Um abraço do magalhães

Jorge P.G disse...

Também não estava prevista no programa do governo a actuação desastrosa do mesmo. O Pinócrates andou às curvas, como sempre.

Quanto ao "Magalhães", já me pronunciei em casa própria, mas direi que o acréscimo dos 60% se deverá, por certo, aos custos dos transportes. Ao preço que estão os combustíveis...

Cumps.
Jorge P.G.