segunda-feira, janeiro 29, 2007

NOTAS CURTAS

O Desemprego
Os números conhecidos até há poucos dias do desemprego em Portugal, referiam cerca de 417 mil pessoas nesta situação. As estatísticas são indicadores que ajudam a perceber alguns problemas, mas não podem ser consideradas isoladamente da realidade palpável, pois não é raro basearem-se apenas em dados passíveis de ser recolhidos junto de entidades que não abarcam totalmente todas a situações que se pretendem quantificar ou tipificar. Afinal há também cerca de 90 mil inactivos que desistiram de procurar emprego nas quatro últimas semanas e a este ainda é lícito contabilizar mais uns 60 mil sub empregados.
São números assustadores e até agora sem comentários por parte do governo.


Juízes e a política
A decisão do Tribunal Administrativo de Coimbra de não se pronunciar sobre o encerramento do bloco de partos da Figueira da Foz, considerando-o um acto político sobre o qual a Justiça não que se pronunciar, é no mínimo discutível. Compreende-se que exista uma separação de poderes mas o que estava em causa era o interesse do público que estaria em causa devido a um acto administrativo.
O argumento do Ministério da Saúde era o de racionalização dos meios e a preocupação das populações era a de falta de meios com tempo de resposta adequada devido à distância a que ficavam as alternativas.
O momento da escolha do juiz e a argumentação utilizada, para os leigos em matéria de direito, foi absolutamente desastroso. Poucos dias antes, noutra zona do país registaram-se duas mortes, por motivos diferentes, que estiveram por acaso associadas a demoras no socorro adequado por falta de meios. Pergunta-se, se o mesmo juiz tivesse de pronunciar-se num processo movido contra o Estado, em que se pedisse responsabilidades pela ausência de meios próprios para assistência a doentes em estado grave naquela região, daria o meritíssimo juiz a mesma resposta, que a decisão de colocar ou não esses meios à disposição daquelas populações era de natureza meramente política?
*******
FOTO

Giza, Egypt (map), 2002
Photograph by Nancy GuptonEgypt's most famous sight—the three Pyramids of Giza—stand tall under the Cairo haze.This overlook provides the only vantage left where the pyramids appear surrounded by desert, as they were in ancient times. The city has sprawled so close that the 4,500-year-old tombs are now nearly downtown.

*******
CARTOON




J. Emilio Polo (Polito) USA

4 comentários:

Joca disse...

Meio milhão de desempregados é obra, e diz Sócrates que a economia está a caminhar passo-a-passo, talvez ... para trás.

Anónimo disse...

Quando os juízes se julgam incompetentes para julgar actos administrativos, independentemente do prejuízo que possam vir a causar aos cidadãos, algo vai muito mal na nossa justiça.

Ana disse...

Portugal está como o teu paciente, a dieta de legumes, importados porque por cá poucos se produzem.

CORCUNDA disse...

E se juntarmos os números do trabalho precário, que no fundo é trabalho temporário, pois no fim do contrato, se existir: RUA, o cenário ainda é mais negativo.
Abraço.