segunda-feira, abril 08, 2013

MEMÓRIA

Recordar Almada Negreiros e Mário Viegas ao mesmo temp, numa obra do primeiro adaptada pelo segundo, em tempos muito parecidos com os que atravessamos, pelo menos no que respeita aos visados pelo manifesto, porque com alguma alteração de nomes tudo encaixa na perfeição.

5 comentários:

MARIA disse...


Lembro-me muito bem deste manifesto, querido Mário Viegas...saudades!

Parabéns pelo seu blog.Cheguei cá à pouco, mas estou para ficar!





















São disse...

Pois...Portugal congelou no tempo, é só mudar os nomes. Por vezes, nem isso é necessário!

Bons sonhos

maceta disse...

o Mário, o grande declamador, genial.


cumpts

Anónimo disse...

Sempre escolhas do melhor.
Bjos da Sílvia

Metalurgia das letras disse...

Venderia até a mãe dele pela Troika.