quarta-feira, setembro 21, 2011

PROPOR OU IMPOR?

Todos os anos se fala em negociações entre o governo e os sindicatos da função pública mas, regra geral, é anunciada a posição patronal antes das ditas negociações e depois é essa a que prevalece, invariavelmente.

Nos últimos anos, e refiro-me aos últimos doze, só uma vez foram concedidos aumentos reais de salários aos trabalhadores da Administração Pública, com um aumento de 3,9%, em ano de eleições. Na altura isso foi tema de todas as conversas e de todas as notícias veiculadas pela nossa imprensa.

Fazendo um balanço destes últimos doze anos, porque nem me apetece recuar mais, temos que tiveram um ano positivo e onze negativos, sendo que em vários houve mesmo um congelamento como se promete já para o próximo ano. Claro que esta contabilidade é incómoda e nem sequer é feita pela nossa imprensa nem pelos diversos comentadores que se entretêm a “bater no funcionário público”.

A chamada “Negociação Geral Anual”, que o governo enviou aos sindicatos da Administração Pública é mais uma posição fechada, pelo menos no que se refere a salários, e não passa de uma imposição, a que nem com muito boa vontade se pode chamar “negociação”.

««« - »»»
Foto - Outono

««« - »»»
Humor em Crise

3 comentários:

José María Souza Costa disse...

CONVITE

Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
Abraços do

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Anónimo disse...

Quem falava de mérito e de incentivos «negoceia» impondo a sua vontade para enfrentar os efeitos da má governação de que apenas são responsáveis os políticos.
Bjos da Sílvia

Anónimo disse...

Ser funcionária pública nos tempos que correm é maldição, só pode!
Bjos da Sílvia