segunda-feira, janeiro 10, 2011

A ATRACÇÃO DO PODER

A situação económica do país é simplesmente péssima e cria a oportunidade de mudança do poder com eleições para a Assembleia da República (AR). Elas são possíveis em pelo menos duas condições, sendo que uma pode resultar da demissão do governo, e a outra demissão da AR por parte do futuro presidente da República.

Não me parece provável que o governo pretenda apresentar a demissão, porque Sócrates está agarrado à cadeira porque sabe que se de lá sair vai ter uma vida muito difícil e inúmeros problemas com a justiça. Mais provável é a hipótese de haver uma dissolução da AR e novas eleições.

O único problema que está na mente dos dois maiores partidos, é que sabem que qualquer novo governo ficará sujeito às ordens do FMI, e por isso a atracção do poder é comedida, e srá sempre condicionada por uma ampla coligação governativa, muito provavelmente mediada pelo PR.

Arcar com as responsabilidades pelos apertos e pelas dificuldades do país, é que é coisa que nem PS nem PSD estão dispostos a arcar. Os dois partidos que passaram pelo governo em mais de duas décadas, anseiam pelo poder, mas enjeitam toda e qualquer responsabilidade, o que tem sido uma constante.

««« - »»»
Foto - Calçada de Lisboa
««« - »»»
Humor e Tacho
Quem tem medo do FMI?

5 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Querido Amigo

Um post muito pertinente sobre o qual pouco há a acrescentar.
Queria ser mais optimista mas não consigo.


Abraço

Daniel Santos disse...

O interesse partidário pelo poder é superior ao interesse nacional.

Anónimo disse...

Casca-lhes que bem merecem pelo que nos andam a fazer.
Bjos da Sílvia

Anabela Jardim disse...

bom seria que o FMI não conseguisse chegar, pois ele leva tudo vê pela frante ...

LopesCa disse...

A Foto - Calçada de Lisboa está muito boa