quarta-feira, maio 02, 2012

A ESTRATÉGIA DE COELHO

Passos Coelho tem demonstrado à exaustão a sua incapacidade de conduzir o país à retoma económica, e a sua falta de estratégia própria para melhorar a vida dos portugueses. 

A agenda do 1º ministro parece desfasada até da dos seus próprios eleitores, pois mentiu a todos quando prometeu não aumentar os impostos, ou quando disse que cortar subsídios era uma tolice, e desde então pouco mais tem feito do que dar o dito por não dito. Sempre às ordens da troika e da dupla Merkozy, Passos Coelho não assume quais os interesses que tem beneficiado, e diz sempre estar a cumprir as medidas impostas pela troika e pela União Europeia, como se não estivesse comprometido com os portugueses. 

Qual elefante em loja de cristais, Passos Coelho destrói as poucas esperanças dos seus votantes, escolhe momentos mais do que inadequados para se pronunciar. A escolha do 1º de Maio para vir dizer que “é preciso estar preparado para níveis de desemprego a que o país não estava habituado” “durante pelo menos dois ou três anos”, é apenas um exemplo actual. 

A referência ao aumento do desemprego, uma chaga social, surge numa altura em a pretexto da sustentabilidade da Segurança Social, se preparam novas revisões da abordagem actual, que trocado por miúdos, significa mais uns cortes em prestações sociais. 

Está bem claro que a estratégia para os próximos anos é a do aumento da austeridade, e que só o aproximar de eleições poderá aliviar um pouco a situação, por puro oportunismo eleitoral. 

Será que os portugueses aguentam Passos Coelho como 1º ministro até às novas eleições?
««« - »»»
Humor e Situação 


3 comentários:

São disse...

Concordo totalmente consigo...mas, dói-me dizer isto, depois do que tenho visto o"bom povo português"(não) fazer ...começo a achar que só tem o que merece!!

Se as pessoas não pensam e cedem em massa à manipulação de um crápula que, afinal, nos conhece muito bem ...então que sejam escravas!

Bom dia

Anónimo disse...

O governo anterior abriu a caixa de Pandora permitindo a abertura dos hipermercados ao domingo e aos feriados agora esses senhores querem os 365 dias. O pequeno comércio vai morrendo e o desemprego alastra, mas quem se importa, se os grandes merceeiros fazem uns descontos em cartão ou no total das compras, então está tudo bem...
Este povo não acorda mesmo!
Bjos da Sílvia

Metalurgia das letras disse...

Coelhos são mestres em buracos, está enterrando o país. Mas a data da temporada de caça ao coelho parece ainda não ter sido definida. O povo ainda apresenta tem alguma estima pelo animal estrategista.