terça-feira, março 12, 2013

ESCLARECIMENTO

Devido a um comentário de um amigo de longa data destas lides, devo esclarecer que não tenho por costume generalizar, pelo que quando critico os políticos, me refiro a todos os que já estiveram no poder e que considero responsáveis pela situação do país.

Não sou membro de qualquer partido, acho que a Democracia não se esgota nos mesmos, e que a participação cívica é essêncial. Não protesto pelo prazer de protestar, e uso a minha liberdade para criticar aquilo que julgo que está errado, bem como contra as injustiças que vou vendo ao meu redor. Sei que existem partidos que ainda não estiveram no poder, e que estão mais perto das minhas ideias, mas ainda não me identifico totalmente com nenhum.

Colaboro sindicalmente, intervenho a nível pessoal quando bem entendo e apoio os protestos que acho serem justificados dando o meu contributo cívico, que acho ser um dever de cidadania.


Quem fez o esterco que o limpe

7 comentários:

José Lopes disse...

Nada tenho contra quem se revê em algum partido, só critico quem suporta partidos responsáveis pela actual situação e não se assume como responsável pelo que estamos a viver. Liberdade é responsabilidade.
Cumps

Metalurgia das letras disse...

Amigo Josè Lopes! Seu amseio é verdadeiro de facto. Saber exigir de qualquer político independente de seu partido a responsabilidade pelos seus atos. Eles ganham (e muito bem por sinal) para não lançarem o povo na penúria, mas não parece cumprir com o trabalho ao qual pleitearam. Na verdade eles estão é a brincar com a liberdade do povo.

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor

em liberdade

Anónimo disse...

E eu que te achava vermelhusco!
Lol

AnarKa

Luís disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pata Negra disse...

O diálogo escrito pode conduzir a interpretações erradas que não acontecem na conversa pessoal, onde existem as expressões e a possibilidade do contraponto imediato. Se fui mal entendido, paciência!
Um abraço mas não limpo o esterco

O Puma disse...

... entretanto

na praça do Estado do Vaticano

a malta está toda

a olhar para uma chaminé