segunda-feira, fevereiro 11, 2013

NÃO HÁ QUE TER MEDO



Sempre que se fala numa possível queda do governo aparecem sempre os mesmos arautos das catástrofes, a acenar com a imagem do país perante a Europa e perante os mercados, como se isso fosse o fim do mundo.


Não sei qual será o conceito de Democracia que esses senhores têm, por que colocam sempre como crucial a imagem perante outrem, esquecendo-se dos interesses dos eleitores, e da sua legítima opinião sobre o executivo.


Desde os bancos da escola fui habituado a crer que as leis só servem até que tenham de ser mudadas, e que os governos emanam da vontade popular. Manter um governo que não merece a confiança dos eleitores e que não defende os seus interesses, é uma tolice.


Se o governo acha que tem a confiança do povo, então não terá medo de eleições antecipadas, e os mercados não podem ser um factor impeditivo do exercício da Democracia.


Não sejas apenas mais um, vote conscientemente e sem medo.

5 comentários:

Pata Negra disse...

Mais vale não ter governo do que um governo destes!

Metalurgia das letras disse...

Não há que ter medo, é apenas um voto, mas que pode mudar um país. Diga não ao desgoverno!

O Puma disse...

Desgoverno devia seguir o exemplo do Papa

São disse...

Claro, não têm que recear eleições: o povo português saberá reconhecer o óptimo trabalho que têm realizado, não?

Só que estas criaturas sabem que seriam corridas!

Crise ? Crise é ter um (des)Governo que em vez de defender Portugal , defendeos intereses estrangeiros

Tudo de bom

Jorge P.G disse...

Governar desta forma contra a maioria do sentir nacional, embora o povo lhes tenha dado a maioria dos votos, é forçar os cidadãos a trabalhos forçados e sem a mínima confiança nos capatazes.

Um abraço.