sexta-feira, maio 18, 2012

OS RESULTADOS QUE ESTÃO À VISTA

A política económica deste governo, com o beneplácito da troika, tem sido o de imposição de uma austeridade extrema e uma sobrecarga insustentável sobre os rendimentos do trabalho, que se têm traduzido num aumento exponencial do desemprego. 

Todas as “ajudas” vindas do estrangeiro, que teremos que pagar com juros, foram canalizados para o pagamento da dívida e para ajudar a capitalizar a banca. Para a economia real e produtiva e para a promoção do emprego, nada. 

Os resultados que estão à vista são bem claros e não abonam nada em favor das apostas feitas pelo governo, nem abonam nada a favor das exigências da troika, tal como aconteceu na Grécia e que se está a replicar por cá. 

No caso do desemprego basta citar o número, já superior a um milhão de desempregados, para se julgar do fracasso. Infelizmente o panorama triste não se fica pelo desemprego, mas estende-se a muitas pequenas e médias empresas que estão em situação difícil e até aos bancos nacionais, que mesmo com o aval do Estado e com os dinheiros postos à sua disposição, estão a ser cotadas a mínimos históricos, valendo as suas acções menos do que o valor de uma bica. 

Que mais será necessário ver para o governo arrepiar caminho e confrontar a troika com os maus resultados destas políticas onde pontua apenas a austeridade cega? Com este tipo de medidas teremos o mesmo destino da Grécia, a curto prazo.
 
««« - »»»
Foto - Dinheiro a Afundar

««« - »»»
Humor - Responsabilidade Política

4 comentários:

Anónimo disse...

Com os resultados que estão à vista, obviamente demito-os.
Bjos da Sílvia

Anónimo disse...

Nenhum reconhece a trampa que faz, os culpados são sempre os outros, e entretanto eles lá se vão governando...
Lol

AnarKa

Metalurgia das letras disse...

Antigamente eram os Gregos e Troianos agora podem ser os Gregos e os Portuguêses que ficaram a ver navios... Demitir e omitir é sempre mais fácil do que propor resultados verdadeiros.

Metalurgia das letras disse...
Este comentário foi removido pelo autor.