quinta-feira, junho 23, 2011

ACTOS AVULSOS

O novo governo de Passos Coelho deu um sinal de não pretender nomear novos governadores civis, alegando “exemplo de rigor e contenção”, demonstrando evidente inexperiência e desconhecimento dos preceitos legais a que está vinculado.

Sem querer entrar na discussão sobre se os governos civis são ou não dispensáveis, que é um terreno difícil e delicado, pois envolve pessoal destas e de outras estruturas que eventualmente possam vir a absorver as competências até agora da responsabilidade destas estruturas, o que importa é saber se a decisão de Passos Coelho não terá sido precipitada.

Eu fiquei com a sensação de que o 1º ministro pretende com esta decisão, e por causa dela, precipitar uma revisão da Constituição, sem a qual a sua vontade não tem pés para andar. Se é este o caso então escolheu muito mal o seu momento, pois há tarefas muito mais urgentes a que se deve dedicar.

A política não pode ser usada como um jogo, e a verdade que foi anunciada começa a ficar minada por atitudes calculistas ou irreflectidas, e neste caso estaremos perante uma destas duas hipóteses, mesmo que o objectivo (da poupança) possa ser considerado razoável.

««« - »»»
Foto Florida

««« - »»»
Humor Escapista

3 comentários:

Anónimo disse...

Eles querem mexer na constituição para facilitar os despedimentos e isto vem mesmo a calhar-lhes.
Bjos da Sílvia

tulipa disse...

Pois...
gostei da "Foto florida"!!!

De política não me manifesto...

Acha que dá gozo andar na roda gigante?
Venha espreitar
...a paisagem é interessante,
mas NÃO olhei para baixo...
por causa das vertigens,
mas fiz do receio - coragem/força,
para poder proporcionar um bom momento aos meus netos.

Abraços.

Daniel Santos disse...

concordo.