quinta-feira, julho 05, 2007

COMO DISSE?

O comendador Berardo continua a querer cavalgar a onda e a aura de mecenas, vindo agra a público com a frase: ”A minha ideia de museus, do museu de todos nós, não foi fazer as pessoas começarem a desembolsar quando as coisas estão bastante difíceis.”
Pode parecer contraditório que eu, que tanto desejo que os nossos museus possam atrair cada vez mais público, esteja aqui a levantar objecções a esta frase. Talvez estas objecções não fizessem sentido, se Joe Berardo não estivesse ligado ao mundo dos negócios e da alta finança, mas está.
Pegando em projecções e desejos do responsável pelo museu do comendador, um bom resultado para o primeiro ano de funcionamento sería um número de cerca de 400.000 visitantes, aproximadamente o mesmo do Mosteiro dos Jerónimos ou do Palácio Nacional de Sintra. Pois bem, quando falamos em números desta ordem de grandeza, estamos também a falar de receitas de bilheteira a rondar 1.000.000 de euros como é fácil de estimar.
Para nos situarmos no que respeita a investimentos do Estado, e considerando apenas o que foi veiculado pela comunicação social, estão previstos 4.000.000 de euros até ao final do ano, atribuidos pela Cultura e pelo Turismo, o que não é propriamente uma bagatela, em termos nacionais.
Estamos perante um desejo e uma proposta bastante popular, para não dizer populista, mas o panorama cultural português não se esgota no Museu Colecção Berardo, e as dificuldades no sector dos museus, para refrir apenas um, são mais do que muitas. Quererá o senhor Joe Berardo explicitar quem vai pagar esta sua ideia?

««« - »»»
Fotografia
Hoyems
lau

««« - »»»

Cartoon Internacional

Mike Thompson

7 comentários:

Sílvia disse...

O Berardo dá tudo, desde que haja lucro para as suas bandas. Hoje gostei imenso das fotografias e da guitarrada de Coimbra.
Bjos

Rita disse...

Estive de férias e na volta encontro este espaço com um gosto ainda mais apurado, se possível, e com a crítica em diversos suportes, desde a fotografia ao cartoon. Vou cá voltar para ver com mais atenção.
Um beijo

Meg disse...

Guardeão, há nesta história do Berardo, uma coisa que me faz confusão: ele não terá um "verdadeiro amigo" que o aconselhe a fechar a matraca, para não dizer tantas asneiras! É que, vestidinho e de boca fechada ainda passa, mas quando abre a boca... vou-te contar, aliás já ouvimos.
Negócio... pois sabe lá ele fazer senão isso? Qual é o espanto?
Os bonecos, uma maravilha, TODOS!
Um abraço amigo

Joca disse...

Com o dinheiro dos outros também eu seu um benemérito. Vejam lá se ele encosta a barriga ao balcão dizendo que atira com dinheiro dele para essa fogueira?
Fui

Sulista disse...

...Nós, o Estado, claro!
Ainda por cima, para ele enriquecer mais!...daqui a uns tempos, vende tudo, compra, vende...etc, que é o que ele sabe fazer, para enriquecer!!
MAsi um a chular...enfim!


Qt aquele canto inferior dto, lá do cartoon, vai lá ver que já expliquei...fiquei frustrada, ninguem percebeu a analogia com o reclame do Montepio Geral...LOL

Abraços

J.G. disse...

ÙLTIMO CARTOON: E foi então que Deus criou a Eva. Inicialmente, a sua obra trá deixado Adão desanimado. Deus emendou a mão, mas só depois...

Quanto ao Cowboy Berardo, qiem tem um olho numa terra de cegos...

Detesto o homeme, não sei porquê.

Um abraço.

alentejodive disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário que o amigo deixou no "Atribulações Locais".

Vou guardar este seu blogue nos Favoritos e voltarei depois de férias, então sim, para comentar .....

Saudações alentejanas.