segunda-feira, junho 06, 2011

OS PROVÉRBIOS

Com o desenlace que teve a eleição legislativa pode dizer-se que o povo português que votou, pouco mais de metade dos potenciais eleitores, escolheu “saltar da frigideira para o fogo”.

Sabia-se perfeitamente que os três partidos signatários do memorando da troika, iriam ter como linha orientadora de governação o tal documento, o que em muito pouco permitia encontrar diferenças que fossem além dos discursos ou da personalidade dos seus dirigentes.

Como alternativa apenas existiam os outros partidos que eram desfavoráveis ao resgate da dívida pública, mas esses estavam também numa posição pouco confortável já que o empréstimo já tinha sido acordado.

Perante a realidade existente, os portugueses acabaram por decidir mudar de caras, mas no fundo sabiam que a mudança de políticas não era neste momento uma possibilidade que trouxesse melhorias a curto prazo.

Fica o sentimento generalizado que a troika não foi nossa amiga, e que o ditado”pior do que o inimigo é o mau amigo”, ou que perante as exigências da troika temos “pior remédio que o mal”. As alternativas existem, mas a seu tempo a inevitabilidade lá nos irá conduzir, disso são muitos os que já o estão a dizer hoje, no dia seguinte às eleições.

««« - »»»
Humor com Coelho

««« - »»»
Foto - Charca
Rã by Palaciano

4 comentários:

São disse...

Pronto, já temos um capataz.Que como é de Direita, vai usar o chicote com muito gosto.

Mas como uma parte da população declinou a sua responsabilidade e a maioria da outra é masoquista e de curta memória, o país só tem o que merece!

Boa semaan.

Anónimo disse...

Eu costumo dizer que os que votam em quem fica no poder acaba por se queixar quando as coisas apertam para o seu lado. Será tarde, mas é isso que vai acontecer a partir da segunda metade do ano e no começo do próximo. Os portugueses gostam mesmo de sofrer...
Bjos da Sílvia

Daniel Santos disse...

de acordo.

opolidor disse...

até lá... as bolsas ficarão mais secas e logo farão novas experiências.