sexta-feira, novembro 12, 2010

ACORDAR PARA A AGRICULTURA

É preciso recuar mais de trinta anos para se ver um verdadeiro interesse pela agricultura e pelo campo, Não estou a falar na Reforma Agrária, mas estou a referir-me à agricultura de subsistência, e aos terrenos baldios.

A crise veio tornar mais visível a necessidade de haver espaço para hortas junto a zonas habitacionais, que forneçam produtos hortícolas a quem delas cuida para complementar o que os baixos salários ou subsídios de desemprego podem providenciar.

Por razões de subsistência e como meio de ocupar o tempo livre, esta actividade começa a ser encarada como útil, e já levou o próprio ministério da Agricultura a pensar nos bancos de terra, e no seu arrendamento a quem estiver disposto a trabalhar a terra.

Agora temos o secretário de Estado da Protecção Civil a pretender convocar os beneficiários do subsídio de desemprego para limpar as florestas. Não sei como é que pretendem motivar os desempregados para esta função, mas a necessidade de limpeza da floresta e a poupança feita baixando o risco de ignições, deverá ser proporcional aos incentivos que se devem dar aos convocados para tão nobre tarefa.

««« - »»»
Fotografias Coloridas
By Palaciano

By Palaciano

««« - »»»
Humor Marinho

4 comentários:

Pata Negra disse...

Sem agricultura não há independência! Perguntemos então porque nos deram dinheiro para arrancar cepas! Perguntemos então porque um país de mar não tem quotas para o peixe que consome!
Um abraço de quem não se alimenta de betão

Anónimo disse...

A lebre de aviário diz que quer responsabilizar os políticos criminalmente, pois tem aqui uma oportunidade para mandar para a pildra todos os governantes de 78 até agora, pela destruição do sector produtivo nacional, a troco de betão, milhares de Magalhães, e outras porcarias que não servem para comer nem produzem nada que se coma.
Bjos da Sílvia

C Valente disse...

Quem foi o responsavel pela destruição da nossa agricultura e pesca, não será o mesmo que agora apela ao contrário
Bom domingo com saudações amigas

Anónimo disse...

Os trapalhões da política têm, por conveniência, memória curta. Sacar-lhes responsabilidades só com o pau de marmeleiro!
Lol

AnarKa