segunda-feira, junho 18, 2018

O TRABALHO E A FAMÍLIA

Os discursos e as promessas são, por parte de muitos políticos, uma forma de tentar convencer os cidadãos das suas intenções, ou para apenas fingir que têm reais preocupações com o seu bem-estar.

António Costa veio desafiar os parceiros (sociais) para “grande acordo” que permita conciliar trabalho e família, no dia em que o acordo para a revisão da legislação laboral foi formalizado entre patrões e, claro, a UGT.

O 1º ministro desconhece, ou finge desconhecer, que há profissionais de diversas actividades, mesmo na função pública, em que os funcionários praticam horários em que é praticamente impossível conciliar o trabalho com a família, como por exemplo nos museus, onde o pessoal de vigilância, lojas e bilheteiras, só consegue passar dois dias por mês com os familiares.


Costa tem um discurso com o qual é fácil concordar-se, mas a prática do seu governo desmente claramente as sua palavras. Que tal começar por dar o exemplo na própria casa, senhor 1º ministro?


Sem comentários: