terça-feira, março 27, 2018

ACESSIBILIDADES E INFORMAÇÃO

Duas das maiores carências dos nossos monumentos, sempre justificadas pela natureza dos edifícios e pela crónica falta de verbas, são as acessibilidades e a informação.

Em boa parte do património monumental as pessoas com dificuldades motoras têm grande dificuldade em poder aceder aos espaços, quando não estão mesmo impossibilitados de os visitar devido às barreiras arquitectónicas, sejam elas alguns degraus ou mesmo grandes escadarias. Em alguns casos as dificuldades existentes são muito difíceis de ultrapassar sem desvirtuar o edifício, mas noutros casos os simples elevadores bastam para resolver o problema.

Outra carência gritante é a falta de informação em alguns museus e monumentos, que é fácil de resolver em termos de tabelas colocadas em locais estratégicos, e que pode ser complementada por écrans/quiosques, ou por aplicações informáticas para telemóveis que são fáceis de implementar, agora que existem programas para implementar wi-fi em monumentos.


Este post foi motivado por uma notícia segundo a qual os “monumentos melhoram acessos a turistas com investimento de dois milhões”, segundo a qual os primeiros resultados do Programa Valorizar a realizar pela DGPC vai utilizar a verba de 770 mil euros nos três projectos apresentados. Outras entidades estão também contempladas neste programa como sejam a EGEAC e a Tapada de Mafra.

Sem comentários: