quarta-feira, novembro 22, 2017

O TEMPO NÃO VOLTA PARA TRÁS

É impossível refazer a história, diz António Costa, e acrescenta que não é possível refazer o que foi feito, e isso não vai cair bem aos trabalhadores da função pública, disso podem, ele e Marcelo Rebelo de Sousa estar seguros.

O congelamento das carreiras está em vigor há muito tempo, e os funcionários públicos não vêm um aumento desde 2009, apesar do que dizem alguns comentadores da nossa praça, sem que nem o Presidente e o 1º ministro tenham dito uma só palavra para repor a verdade.

Ninguém está a pedir que o tempo volte para trás, ou que o Estado devolva o dinheiro que retirou aos seus  funcionários desde o início do congelamento, mas tão só que não subtraia anos de trabalho para efeitos do descongelamento de escalões, o que é da mais elementar justiça.

Dir-me-ão que isso só pode acontecer diluído no tempo, e isso é passível de ser discutido, mas dizer que é impossível e que alguém quer que o tempo volte para trás, não é verdade nem é justo. Pior ainda é que existam dois pesos e duas medidas... 

 

Sem comentários: