sábado, agosto 13, 2016

PROMESSAS POR CUMPRIR NA CULTURA

A Cultura teve direito a um ministério, e foi notório o foguetório de promessas que surgiram de imediato, deixando quem anda nestas coisas com a pulga atrás da orelha.

Em geral o tempo costuma ser o melhor juiz nisto de promessas, e no sector dos museus, palácios e monumentos as coisas são por demais evidentes.

A promessa do arranjo dos carrilhões de Mafra, está por cumprir, e o tricentenário que se comemora em 2017, decorrerá sem os concertos de carrilhão que todos desejavam ouvir.

A conclusão do Palácio da Ajuda foi outra promessa, que incluía um museu dedicado às Jóias da Coroa, também não avançou, e nem se fala no assunto.

Estas duas promessas estavam de algum modo ligadas à indemnização recebida por causa do roubo das jóias da coroa, durante uma exposição na Holanda, mas pelos vistos o dinheiro está amealhado, ou então foi gasto, porque as coisas entraram no rol dos esquecidos.

Há mais promessas por cumprir nesta área, por exemplo o complemento multimédia do novo Museu dos Coches, ou a alternativa ao Eixo Belém/Ajuda que também ainda não tomou forma, apesar das críticas ao anterior projecto.


O Verão está no seu auge, os incêndios dominam as notícias, mas haverá sempre quem esteja atento ao que se prometeu e não foi cumprido, senhor ministro da Cultura. 

1 comentário:

C Valente disse...

Não acredito nos politicos muito menos em promessas por eles feitas , dão o dito por o não dito, com a mesma facilidade com que a serpente expulsa oo veneno
Saudações amigas