sexta-feira, agosto 05, 2016

INDIGNAÇÃO E CÓDIGOS DE CONDUTA PARA POLÍTICOS

Na política as asneiras resolvem-se com mais normas, como se elas não existissem já e em demasia, e depois diz-se que o assunto está encerrado.

Pouco me importam as viagens pagas pela Galp, e estou-me lixando para a devolução do dinheiro pela parte dos secretários de Estado, o que me preocupa mesmo é a acção, pois aceitaram uma oferta duma empresa que está em litígio com o Estado, e em dívida segundo as normas em vigor, pois os senhores são membros do governo em funções.

Claro que o ministro dos negócios estrangeiros pode vir dizer que não houve nenhuma incompatibilidade, mas eu pergunto: o que é que aconteceria a um funcionário das finanças que recebesse uma viagem paga pela Galp, assim sem mais nem ontem, para ir ver as olimpíadas?

Não era necessário nenhum código de conduta para obviar casos desta natureza, o que faltou foi o bom senso e sobretudo a certeza de sair incólume duma asneira desta natureza, que colocaria em muito maus lençóis qualquer funcionário público, subordinado destes senhores. 


Sem comentários: