quinta-feira, junho 02, 2016

A GUERRA DOS TÁXIS

Durante umas semanas Portugal assistiu à guerra entre os taxistas e a Uber, que envolveu cenas de pancadaria, manifestações, marchas lentas e negociações, mas as coisas continuaram na mesma, pelo menos no que diz respeito ao funcionamento da Uber.

Os taxistas têm as suas razões, porque cumprem requisitos a que os condutores ao serviço da Uber não estão obrigados, mas estes também querem trabalhar, usando uma plataforma que é mais versátil e tem outros requisitos que agradam aos clientes. Os preços andam ela por ela e a qualidade pende para os condutores da Uber.

Estas coisas nasceram lá fora e estão muito longe de terminar, pelo contrário. A BMW e a Volskswagen querem entrar no logo, onde a Toyota já está associada à Uber, e a General Motors também já investiu noutra concorrente.

O mercado automóvel atravessa algumas dificuldades, e esta parece ser uma saída para escoar a produção em excesso, e com aliados destes os concorrentes dos táxis e da Uber podem ganhar boa fatia do mercado, como se percebe.


As autoridades portuguesas, e as europeias, têm que se definir sobre este assunto, porque o recrudescer dos conflitos está quase aí…


1 comentário:

Elvira Carvalho disse...

É a lei da concorrência.
Abraço