quarta-feira, maio 25, 2016

UMA CÂMARA E O EXCESSO



É absolutamente estranho ouvir que uma câmara municipal tenha tomado posse administrativa de prédios para construir uma mesquita.

Estamos todos cientes de que algumas vezes o interesse público possa dar lugar à expropriação de terrenos e de edifícios, e isso tem acontecido, mas neste caso a razão é outra, pelo menos a dar crédito às notícias que circulam.

Vivemos num Estado laico, mas as coisas acabam por não ser bem assim, e vemos ajudas estatais a alguns credos, como é o caso da igreja católica, e agora também com os islâmicos, sem que se perceba bem porque é que uma autarquia exerce o direito de expropriação em favor da construção duma mesquita.

É indecente que se use o dinheiro de todos os munícipes para beneficiar apenas alguns, seja ele qual for o credo que professem, senhor Fernando Medina.



2 comentários:

kruzes kanhoto disse...

Revoltante. É assim o que de mais simpático me ocorre sobre este procedimento da Câmara de Lisboa. E depois queixam-se da crise estes parolos dos autarcas nacionais...

O Puma disse...

Expropriados somos todos
a custo zero