domingo, maio 08, 2016

O MNAA E AS AFIRMAÇÕES DO SEU DIRECTOR



O director do Museu Nacional de Arte Antiga, António Filipe Pimentel, cavalgando o sucesso da angariação de fundos para a compra do Sequeira, deu mais uma entrevista, desta vez ao DN, que não lhe terá saído muito bem.

Existem duas afirmações que mostram alguma contradição, a saber: “o museu posicionou-se, mesmo que não tivesse de ser ele a fazer o trabalho. Neste momento, o governo só pode fazer uma de duas coisas: numa decisão que será universalmente saudada, avançar com coragem ou apanhar os cacos.” A outra foi: “encontrei uma instituição congelada em formol,… os portugueses têm orgulho no museu e que não é uma vaga e pindérica instituição como a que estava para lá, subnutrida.”

A falta de humildade deste senhor é imensa, e com as suas afirmações deixa implícito que antes dele, os directores que passaram por aquele museu, foram uns incompetentes. Outra conclusão das suas palavras é que foi a sua acção, isolada, que transformou “o mausoléu” que foi o MNAA até à sua chegada.

Creio que o senhor director do MNAA, que até desempenha outras actividades paralelamente a essa, presumo com o mesmo brilhantismo, devia ter em atenção o provérbio popular: «Presunção e água benta, cada qual toma a que quer».



2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Há gente assim, Promove-se a si próprio.
Um abraço e bom Domingo

Anónimo disse...

Um iluminado, este senhor. O espírito de equipa e a humildade não são qualidades dos pavões.
Bjo da Sílvia