quinta-feira, maio 12, 2016

INTERESSES CORPORATIVOS



Há indivíduos que tropeçam frequentemente no que dizem, e Passos Coelho tem tropeçado muito nas próprias palavras, dizendo uma coisa e fazendo outra, esquecendo-se do que nenhum governante se pode esquecer, e também acusando outros com palavras muito mal escolhidas.

As promessas não cumpridas já lá vão, os impostos esquecidos também, mas a acusação de que um ministro estaria a defender interesses corporativos, no caso do financiamento de estabelecimentos de ensino privados, é muito recente.

O dirigente do PSD teve muito azar nessa afirmação infeliz, porque logo a seguir soube-se quanto custa ao Estado esses pagamentos feitos a privados, quais são os maiores beneficiados e onde estão situados os tais estabelecimentos de ensino.

Passos Coelho é um azarento, porque logo de seguida ficou claro para a opinião pública quais são os interesses corporativos que estão a ser abalados, quando se começou a ver quem estava a orquestrar os protestos.

A pergunta que se impõe é: será que Passos Coelho sabe o que são corporações? Saberá ele que estar colado às corporações que agora protestam, o transformam num defensor dessas corporações?


1 comentário:

Elvira Carvalho disse...

O homem está completamente desesperado. Já nem sabe o que diz.
Um abraço