quarta-feira, abril 13, 2016

NÃO PERCEBO NADA DE ECONOMIA

O país está de tanga, como dizia o outro, o povo sofreu e ainda sofre com o aumento brutal dos impostos, com os cortes nos salários e nos direitos, mas a dívida pública aumentou brutalmente, e os problemas continuam.

A banca deu sucessivos estoiros, e os governos injectaram lá mais de 14 mil milhões de euros, e parece que os contribuintes só recuperaram 14% desse dinheiro, o que demonstra bem que os lucros fabulosos que a banca apresentava nos anos anteriores a 2008, eram uma grande mentira, que serviu para encher os bolsos de accionistas e gestores, deixando os “buracos” para os contribuintes, como se viu.

O 1º ministro vem agora dizer que se devia criar um Bad Bank para “limpar” os activos tóxicos da banca nacional, mas ainda não conseguiu explicar como é que isso pode ser feito sem ficar o fardo final para os contribuintes.

Com tanta austeridade que incidiu em grande parte sobre os rendimentos do trabalho, a verdade é que o crédito malparado dos particulares é relativamente baixo, e resultante sobretudo do desemprego que resultou destas políticas. Apesar de terem sido mais poupadas pela austeridade e com uma redução clara do IRC, e com outros incentivos fiscais conhecidos, as empresas privadas e públicas são responsáveis por mais de 70% do crédito malparado.

É possível que eu não perceba nada de economia, mas não devo ser o único, porque eu não tenho créditos nenhuns, neste momento, e afinal os grandes empresários e os grandes gestores, ou pelo menos boa parte deles, não podem dizer o mesmo das suas empresas…
 

Fotografia 

Corrida by Palaciano*

1 comentário:

Anónimo disse...

Adoro a fotografia do Palaciano, ainda mais porque é tirada com um telemóvel fraquito...
Bjo da Sílvia