segunda-feira, fevereiro 22, 2016

SACRIFICAR O TRABALHO



A Europa que criou o estado social, que defendeu os ideais da Democracia (Liberdade, Igualdade e Fraternidade), e se tornou um farol desses valores no mundo, sucumbe agora mergulhada na ditadura da economia e dos mercados.

A ideia de que o trabalho dignifica o homem é hoje pouco mais do que simbólica, pois o trabalho só é valorizado na medida em que possa ser taxado.

O equilíbrio entre o capital e o trabalho já não existe há bastante tempo, e hoje fala-se mais nas exigências dos mercados, em questões macroeconómicas e em ratings, do que em direitos laborais, dignidade humana e redistribuição justa da riqueza, para eliminar as desigualdades.

Há notícias que incomodam as pessoas de bem, como o facto da tributação das famílias ter aumentado sete vezes mais do que a das empresas, desde 2011, ou que tenha sido gasto mais dinheiro com a defesa e capitalização dos bancos do que com a saúde e a educação juntas.

Onde estão os grandes valores da Europa? Que mundo se quer construir com estas políticas?



3 comentários:

heretico disse...

excelente texto!
mas na minha perspectiva, não se trata mais de equilíbrio capital/trabalho
mas da transformação absoluta do trabalho em "mercadoria"...

grato pela tua presença amiga no "relogiodepêndulo"

abraço

São disse...

Penso que estamos mergulhando de cabeça no retrocesso...e que ainda alguém vai pedir a legalização da escravatura

Saudações

Gilberto Fernandes Teixeira Teixeira disse...

Em alguns países já se trabalha apenas pela alimentação...