sexta-feira, janeiro 08, 2016

PORTUGAL EM POUCAS LINHAS



Patrões 1 – Os industriais deste país alertam para o custo do regresso dos feriados, mas curiosamente não divulgam quais os benefícios das empresas e dos seus proprietários durante o tempo que vigoraram os cortes dos mesmos feriados.

Patrões 2 – Os industriais portugueses dizem que há “bases para um acordo” sobre o salário mínimo com a descida da TSU, mas sabe-se que o desconto que querem não abrange apenas as que têm pessoas que ganham até 520 euros, mas todas as empresas atingidas pelo aumento do salário mínimo. Fica por saber quais são as empresas que vão dizer não serem “atingidas” pelo aumento do SMN.

Economia – Apesar do “sucesso” afirmado por Passos Coelho e sua equipa, as vendas a retalho subiram menos em Portugal do que no resto da União Europeia, tendo mesmo ficado no 2º lugar dos que mais desceram em Novembro passado.

Banca – É formidável como há descaramento suficiente para ouvir da boca de “especialistas” que a subida do salário mínimo nacional podia fazer aumentar as comissões bancárias. O descaramento é tanto maior quanto o aumento das comissões bancárias (pelo menos de alguns), é de 33% e o do SMN é bem menor, basta fazer as contas.


Belém - Calçada by Palaciano 

Belém by Palaciano

2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Os patrões se lhes fosse permitido queriam era o pessoal a trabalhar de borla.
Um abraço e bom fim de semana.

Anónimo disse...

Tudo aumenta ao nosso redor, mas os salários ficam na mesma...
Lol

AnarKa