sexta-feira, dezembro 12, 2014

DA AMEAÇA À CHANTAGEM



Passos Coelho enquanto político é simplesmente detestável, pela sua arrogância quando trata dos assuntos, apresentando sempre as suas ideias como as únicas e indiscutíveis.

A privatização da TAP é mais um caso em que o 1º ministro se julga o dono da razão, ainda que se tenha escudado em primeiro lugar numa premissa errada, dizendo que o Estado não podia injectar capital na companhia, o que não é rigorosamente verdade, e esquecendo-se de reconhecer o peso da TAP na captação de recursos para o turismo nacional e do serviço público que a empresa presta aos nossos emigrantes um pouco por todo o mundo.

Não é sério nem aceitável que Passos Coelho sequer sugira que a alternativa à privatização é o despedimento colectivo ou o fim da empresa, porque em Democracia há sempre alternativas, e essa é mesmo a essência da Democracia.



2 comentários:

Anónimo disse...

É um ditadorzito de pacotilha.
Bjo da Sílvia

Elvira Carvalho disse...

Antigamente havia um panfleto sobre o patrão que era mais ou menos assim

1º O patrão tem sempre razão
Depois havia 8 pontos em que sempre se tinha em mente que ele sim era o senhor.
E por fim vinha o último
10º Em caso de dúvida aplica-se o 1º
Por vezes penso que o PM deve ter uma coisa dessas no quarto desde menino. Para se mentalizar que ele é o máximo e acima dele nem Deus.
Um abraço e uma boa semana