terça-feira, setembro 23, 2014

SUGAR AINDA MAIS QUEM TRABALHA

O patronato português através dos seus representantes veio exigir, de novo, a suspensão do pagamento devido pelo trabalho extraordinário e dos feriados, querendo prolongar uma situação aceite pelo Tribunal Constitucional porque era excepcional e limitada no tempo, que já se devia ter esgotado no final de Junho deste ano e que foi prolongada pelo governo até ao final de 2014.

Par um patronato e um governo que diziam não querer competir através de baixos salários, parece que estamos conversados. Tiveram mais de três anos de medidas excepcionais, já baixaram o IRC e mesmo assim ainda não estão preparados para pagar um ordenado mínimo de quinhentos e poucos euros, nem para pagar devidamente o trabalho extraordinário que exigem aos seus empregados.

Não há maneira de certos patrões de vistas curtas verem que sem consumo não conseguirão aguentar-se no mercado, e que o consumo depende e muito da disponibilidade financeira efectiva dos seus trabalhadores.


1 comentário:

O Puma disse...

Vespas predadoras