terça-feira, julho 08, 2014

COM O PASSO TROCADO



Paulo Portas acostumou-nos a discursos e tiradas oportunas, pois sempre se mexeu bem nos meandros da comunicação social, e encontrava sempre maneira de adequar as palavras ao pulsar das audiências.


Claro que muita gente achava Portas um oportunista de verbo fácil, um demagogo, ou um populista, mas a verdade é que muitos foram na sua “cantiga”.


Os tempos passaram, e Portas atingiu cadeiras do poder, afastando-se assim do pulsar das pequenas e das grandes audiências populares, e intoxicado pela propaganda do seu governo, deixou de saber adequar as suas tiradas à realidade, perdendo também o sentido de oportunidade.


Esta semana, ao mesmo tempo que o Eurogrupo veio dizer “que é prioritário baixar os impostos directos sobre o trabalho”, Portas “espalha-se”, pois ao querer mostrar que a economia portuguesa “está melhor”, acenou com a baixa do IRC em Portugal.


A agenda do governo português não se mostra de passo acertado com a Europa, e muito menos com o querer da maioria da população, mas isso acontece muito a quem segue cegamente “a voz do dono”, e deixou de ter opinião e de ouvir o que está ao seu redor… 

1 comentário:

Anónimo disse...

A falta de idas aos mercados e às feiras e sedentarismo fazem destas coisas...
Bjos da Sílvia