terça-feira, fevereiro 18, 2014

O NADA ABONADO

Aquilo que podia ser apenas um desabafo engraçado, se dito por um qualquer cidadão, transforma-se numa inconveniência quando saído da boca do primeiro-ministro de Portugal.

A frase: "a coisa mudou tanto, que o bacalhau já é quase uma coisa que só pode estar à mesa se gente um bocadinho mais abonada. E o primeiro-ministro não é nada abonado", acaba por ser quase um insulto, porque Passos Coelho é um privilegiado e ao fazer-se de vítima é gozar com a miséria, pois a grande maioria dos portugueses sentir-se-ia bastante cómodo com o seu salário.

Infelizmente há políticos da nossa praça, nas mais altas posições do Estado, que se "choram" respaldados em proventos que em nada comparam com os baixos salários ou a miseráveis pensões da esmagadora maioria dos eleitores.

Haja vergonha...  

Pataniscas

2 comentários:

São disse...

Essa tolice que pretende ser uma gracinha, vem na mesma linha da pseudo queixa de reformado algarvio, sobre não ter dinheiro para cobrir as despesas!!

Mas também não votaram nas criaturas, apesar de tudo??

Bom serão

maceta disse...

o homenzito é, sobretudo, pouco abonado de inteligência...


cumpts