sábado, janeiro 11, 2014

SERVIÇO PÚBLICO

Ser governante ou ocupar um alto cargo em instituições públicas devia ser encarado como uma prestação de serviço público, onde em primeiro lugar está sempre o interesse dos cidadãos e não os interesses de alguns ou os interesses próprios.

A actividade política em Portugal, tem sido encarada por parte dos cidadãos como uma actividade onde proliferam indivíduos oportunistas, preenchida por pessoas que defendem os grandes interesses e que são capazes de enganar os eleitores para se alcandorarem no poder.

Infelizmente as coisas são mesmo assim, e é pena que apesar das evidências ainda tenhamos tantos portugueses que se deixam enganar sistematicamente, e muitos outros que tenham desistido de alterar as coisas, abstendo-se de votar e de ter participação cívica.

Nos últimos dias as notícias foram notícia diversos políticos do passado bem recente, em que o governo se submeteu a políticas ditadas por credores e instituições externas, sobrecarregando grande parte dos cidadãos com impostos e cortes salariais e de direitos sociais, que estão em vias de entrar para lugares de relevo nas ditas instituições externas.


Sabemos quais as posições defendidas por estes políticos, sempre alinhadas com a troika, e os processos em que estiveram envolvidos, como as privatizações ou as ajudas aos bancos, e vê-los recrutados agora por instituições de algum modo relacionadas com a sua acção, faz-nos pensar sobre os interesses em causa durante os seus mandatos em funções públicas… 

3 comentários:

Gilberto Fernandes Teixeira Teixeira disse...

Políticos "BBT", Beija Bunda da Troika!

Anónimo disse...

Como se vergam aos interesses são presenteados com altos cargos onde continuam a "servir" quem realmente manda.
Bjos da Sílvia

Jorge Ramiro disse...

Eu acho que os políticos deveriam pensar no bem-estar das pessoas. Eu não sou nenhum político ou militante, eu só trabalho em alguns restaurantes em moema. Mas é o ponto de vista de um cidadão.