quinta-feira, novembro 14, 2013

SITUAÇÃO INVERTIDA



Só governantes sem espinha dorsal é que podem aceitar certas declarações de entidades externas, que são uma intromissão gritante naquilo que é a soberania nacional, sem manifestar o seu repúdio.

Um executivo que diz ter a legitimidade do voto popular não pode vir afirmar que afinal obedece em primeiro lugar a entidades estrangeiras, porque uma coisa não é compatível com a outra.

A ilegítima pressão exercida pelo FMI sobre o Tribunal Constitucional é uma vergonha e a afirmação de que “o regresso à incerteza política na sequência de acórdãos do T.C. contra reformas fundamentais pode complicar os esforços de reforma e minar a confiança”, é uma intolerável ingerência na nossa soberania, que devia ter originado uma resposta firme de todos os órgãos do poder nacionais.

A confiança neste governo já desapareceu há muito e a sua subserviência a interesses estrangeiros é vergonhosa e inaceitável.


««« - »»»»
Humor da Net 



1 comentário:

São disse...

Se o próprio cherne podrido, que para maior vergonha é português , se permite observações se ameaças sobre o Tribunal constitucional, não surpreende que as outras instituições se achem no direito de intromissão nos assuntos portugueses, tanto mais que o reformado a vaguear por Belém não abre a boca repudiando estes comportamentos...

Bons sonhos