sexta-feira, junho 28, 2013

RESPEITO OU TOLERÂNCIA?



Este governo não consegue convencer nem na acção nem no discurso, onde é igualmente desastrado.

Foi deplorável ouvir da boca de um governante, ainda durante a greve geral de ontem, que respeitava quem aderiu à greve, mas que o governo respeitava mais quem estava a trabalhar.

Infelizmente o senhor ministro que proferiu esta incongruência não percebeu que só se pode respeitar ou não respeitar pessoas, e nunca respeitar mais uns do que outros, porque o respeito merece-se.

O conceito de tolerância é muito diferente, e o que se pode deduzir da afirmação do ministro, é de que o governo se limita a tolerar quem aderiu à greve, pois não pode (legalmente) combater esse direito porque não consegue mudar a lei.

Já agora, basta também consultar a Wikipédia para ver que o respeito não deve ser confundido com tolerância porque tolerância não diz necessariamente nenhum sentimento positivo, e não é compatível com desprezo, o contrário de respeito.

O português é tramado, e os políticos deviam estar mais atentos ao que dizem.



3 comentários:

São disse...

Discordo, é bom que digam o que realmente sentem , para as pessoas pensarem um bocadinho e verem quem colocaram no Poder.

É a mesma situação da pergunta dos jotinhas PSD acerca do custo dos sindicato dos professores.

Muito mau sintoma: revelam ignorância , pois os sindicatos são pagos pelas quotas de quem se sindicaliza; revelam vontade de acabar com os sindicatos logo que puderem!

Hitler foi eleito e esta gente deve ter-lhe lido os escritos que deixou!

Bom final de semana

Anónimo disse...

Eles só não acabam de vez com as greves porque não podem e dizem tolerar esse direito mas vão apertando ocerco a quem faz greve. Respeito pelos direitos dos trabalhadores é coisa que eles não nutrem, nem pouco nem muito, eheheh
Bjos da Sílvia

José Lopes disse...

Cara amiga
Seria bom que o ministro tivesse dito que tolerava os grevistas e não que os respeitava, porque assim é que seria verdadeiramente honesto. Claro que não enganou ninguém ainda que tivesse confundido o conceito.
Cumps